Campo Mourão abre inscrições para dupla diplomação em Eletrônica

Ótima oportunidade para os alunos do 7º período de Engenharia Eletrônica de Campo Mourão!

O programa de dupla diplomação entre a UTF e o curso de Licenciatura em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores do Instituto Politécnico de Bragança em Portugal está com inscrições abertas para alunos de Campo Mourão. O objetivo é contribuir com a qualidade de formação acadêmica e estimular novas estratégias de desenvolvimento do ensino de graduação na Universidade.

As inscrições podem ser realizadas até 25 de maio, na Diretoria de Graduação e Educação Profissional do próprio Câmpus. Para participar, o aluno deve estar cursando a partir do 7º período do curso e possuir coeficiente de rendimento de, no mínimo, 0,65. Ah, também é preciso ter disponibilidade de morar em Portugal por pelo menos 12 meses, suave né? 😉

Ao todo, serão selecionados até quatro alunos. A classificação dos candidatos se dá pela avaliação instituída pelo próprio câmpus. O início das atividades está marcado para o mês de setembro. E o melhor de tudo é ter a possibilidade exercer a profissão no Brasil e na Europa.

A lista preliminar com os classificados será divulgada no dia 31 de maio.

Para mais informações, consulte aqui o edital.

Que chance de ouro, minha gente!

Crianças superdotadas participam de projeto de extensão no Câmpus Toledo

Já pensou que legal seria se crianças superdotadas tivessem um contato mais próximo à academia? Esse é o objetivo do projeto de extensão “Ensino de Eletrônica Básica para Alunos de Escolas Públicas com Altas Habilidades”, realizado no Câmpus da UTFPR na cidade de Toledo.

A ideia é bem simples: identificar alunos com excelentes desempenhos escolares e trazê-los para o Câmpus, para que possam ter contato com o universo da ciência e da pesquisa desde cedo.

Dentro do projeto, quatro alunos do sexto e sétimo ano do ensino fundamental de escolas públicas de Toledo têm aulas teóricas e práticas de circuitos elétricos, eletrônica digital e programação para Arduino (plataforma de programação livre), por exemplo. Eles também aprendem como funcionam os sinalizadores, sensores e atuadores diversos. E, além disso, são instruídos na montagem de robôs!

Ainda cursando o ensino fundamental, os alunos do projeto já iniciam seus estudos sobre robótica

Ainda cursando o ensino fundamental, os alunos do projeto já iniciam seus estudos sobre robótica

Segundo Cristina Favaro, pedagoga que acompanha essa turminha, os alunos foram diagnosticados com altas habilidades no inicio do ano e, então, foram incluídos no Projeto. “As aulas estão proporcionando-lhes um crescimento rápido na área de eletrônica e robótica”, comenta.

A opinião dos alunos é unânime, as aulas são realmente interessantes e úteis. “Em minha casa, já consigo montar e desmontar carrinhos e helicópteros de controle remoto.”, diz Luis Gustavo Gozzi, aluno do 7° ano do ensino fundamental.

Essas quatro pequenas feras serão acompanhadas até o fim de 2015 pela equipe do Projeto, formada por professores e alunos da UTF.

Vamos aguardar… Quem sabe esses prodígios não viram nossos nerds favoritos? 😉

Empreendedorismo na UTF: Protut

Em 2012, alguns estudantes do curso de Engenharia Eletrônica do Câmpus Ponta Grossa iniciaram um programa de extensão para incentivar os alunos a dedicarem 4 horas semanais em desenvolvimento de projetos específicos para área de eletrônica. Era a semente da Protut, empresa júnior de eletrônica e o assunto desta semana da série “Empreendedorismo na UTF”!

Diego Tranquilino, um dos fundadores e presidente da Protut, lembra que a ideia do projeto de extensão começou quando, em uma feira de robôs, foi questionado se todos os acadêmicos da Engenharia Eletrônica da UTFPR teriam condições de desenvolver algo como aquilo. “Aquela pergunta fez com que eu me dedicasse em tentar mudar a minha realidade e também daquelas pessoas que estavam dispostas a isso”, diz. Mas a Protut só viria a surgir em 2013, quando a professora Eliane Pietrovski sugeriu o desafio de fundar uma Empresa Junior aos alunos do então projeto de extensão.

Atualmente, a Protut conta com 19 estudantes, divididos entres os setores de Administração, Logística, Marketing, Recursos Humanos e Presidência. A empresa atende a comunidade com serviços de consultoria, com busca de soluções tecnológicas para micro e pequenas empresas e criando produtos específicos para melhorar o aproveitamento do tempo em atividades residenciais e industriais. Sempre mantendo o objetivo de trazer experiência técnicas e corporativas para seus membros.

E a experiência corporativa é um dos grandes diferenciais trazidos pela empresa júnior. Como conta Tranquilino, a consultoria oferecida pela Protut é baseada em conceitos técnicos aprendidos no curso, mas há muitos outros componentes envolvidos no dia a dia de um empreendedor: “você precisa aprender a gerir conflitos, aprender técnicas de marketing, identidade visual, técnicas de negociação, fazer balanços financeiros e diversas outras coisas que você só vê quando faz parte do Movimento de Empresários Juniores”.

E aí, gostou? Se você é aluno de Engenharia Eletrônica da UTFPR e se interessou pela oportunidade de desenvolver um trabalho empreendedor, ou se você só quer ficar por dentro do mundo científico, fique ligado no site e no facebook da empresa!

Obs: há boatos de que quem curtir a fan page do pessoal terá a chance de pilotar o drone ali da foto. 😉

UTFPR pelo mundo

O aluno Charles Reis Ribeiro na Coréia do Sul

Fazer intercâmbio é um desejo de quase todos os estudantes. Atualmente, são mais de mil alunos da UTFPR que realizam essa experiência por meio do Programa Ciência sem Fronteiras (CsF). Charles Reis Ribeiro, aluno de Engenharia Eletrônica do Câmpus Curitiba, foi um deles. Ao Blog do Aluno, ele conta um pouco a experiência de estudar em uma das mais prestigiadas universidades da Coréia do Sul, a Yonsei University.

Segundo Charles, o primeiro impacto foi o inevitável choque cultural – principalmente quando se trata de um país que está a 12 fusos horários de diferença do Brasil. Mesmo indo morar em Seul, uma das maiores cidades do mundo com mais de 10 milhões de habitantes, o aluno conta que teve dificuldades para encontrar informações precisas sobre o país. Mas viver em uma megacidade foi uma experiência bastante enriquecedora: “morar na capital [Seul] significa estar exposto à vida cultural do país de uma forma muito intensa”.

A falta de tempo no dia a dia, o ritmo frenético das aulas, a exigência nas provas e no estágio, bem como situações inusitadas por estar morando sozinho e distante dos amigos e da família foi complicado para o estudante. “Mas valeu muito a pena”, enfatiza.

Apesar de haver outros brasileiros vivendo na Coréia do Sul, Charles ressalta que o país ainda é um dos menos procurados para intercâmbio pelo Ciência sem Fronteiras – o que é uma boa oportunidade pra quem está interessado em concorrer às próximas chamadas do Programa.

Fique ligado no Blog do Aluno para acompanhar os próximos editais! 😉

UTFPR e o Mercado de Trabalho – Engenharia Eletrônica


Já pensou em atuar na área de eletrônica? Hoje você vai poder conhecer um pouco mais sobre o mercado de trabalho e o curso de bacharelado em Engenharia Eletrônica.

O curso de Engenharia Eletrônica tem duração de cinco anos e é oferecido em quatro câmpus da UTFPR: Ponta Grossa, Curitiba, Toledo e Campo Mourão. O currículo desse bacharelado é predominado por matérias de Exatas nos dois primeiros anos. Depois começam disciplinas mais específicas como sistemas digitais, circuitos elétricos, eletrônica e eletromagnetismo.

O mercado de trabalho já é muito amplo para esse profissional e tende a crescer ainda mais com a evolução das tecnologias de informação e comunicação, já que as especializações em telecomunicações, automação e integração de sistemas eletrônicos são destaque entre os egressos. No setor industrial, as principais oportunidades de trabalho se concentram nas regiões Sul e Sudeste, especialmente ao redor dos câmpus da UTFPR. Segundo o CREA de São Paulo, o engenheiro eletrônico pode iniciar sua carreira com um salário de R$ 3.732,00.

Se interessou pelo curso? Já é formado em Engenharia Eletrônica ou está cursando? Conte para nós sua opinião!