Acadêmicos desenvolvem plataforma on-line de atividades pedagógicas

Os alunos de curso de Tecnologia em Sistemas para Internet do Câmpus Guarapuava desenvolveram uma ferramenta que promete facilitar o trabalho dos professores. Chamado de ‘Brincando na Web’, a plataforma é utilizada para elaboração de atividades pedagógicas para as turmas dos primeiros anos do Ensino Fundamental I. A ferramenta permite aos professores compor um conteúdo e criar questões alternativas associadas ao tema.

projeto_guarapuavaO projeto foi criado pelos alunos Erika Leão, Felipe Weiber e Lucas Sartori para uma disciplina com foco em aspectos relacionados à Interação Humano-Computador e à Avaliação de Interface. No desenvolvimento, foram utilizadas as seguintes tecnologias: linguagem de programação PHP, framework Laravel, Sistema Gerenciador de Banco de Dados MySQL, framework CSS Bootstrap, biblioteca de animação Animate, wysiwyg editor NicEdit e a ferramenta para analise de interação do usuário Hotjar.

E tem mais, o projeto está sendo implantado na Rede Municipal de Ensino de Guarapuava por meio do Programa Nacional de Tecnologia Educacional (ProInfo). O objetivo é promover o uso pedagógico da informática na educação básica, assim como incentivar o uso da tecnologia como ferramenta de enriquecimento pedagógico.

Sensacional, heim?

Empresa incubada realiza entrega de prótese de braço feita em impressora 3D

Linda iniciativa da galera do Câmpus Guarapuava!

A Anatolab, empresa incubada do Hotel Tecnológico do Câmpus Guarapuava, produziu e entregou uma prótese de braço feita em impressora 3D para uma adolescente com deficiência da cidade de Vitória, no Espírito Santo.

A prótese foi produzida em uma impressora 3D a partir do modelo RIT ARM, que apresenta todos os parâmetros necessários para a construção da prótese. Além disso, o modelo é um projeto open source, ou seja, está disponível gratuitamente na internet.

André Luis de Abreu e Fernanda Virtuozo, membros da equipe que desenvolveu o projeto (Foto: Divulgação)

André Luis de Abreu e Fernanda Virtuozo, integrantes da equipe que desenvolveu o projeto (Foto: Divulgação)

“Na construção da prótese, são passados fios internamente, presos no encaixe do braço próximo ao bíceps, e vão até a ponta de todos os dedos, responsáveis por fazer o movimento. Os dedos são articulados para que possam se movimentar quando o usuário dobrar o cotovelo, que é quando os fios se tensionam e fecham os dedos. O movimento realizado pela prótese é o de ‘pegada’, considerado o movimento mais importante da mão humana”, explica André Abreu, aluno de Engenharia Mecânica e um dos responsáveis pelo projeto.

protese-3d-2

Prótese em fase de teste (Foto: Divulgação)

Mas até a entrega da prótese, o caminho foi longo…

“Tínhamos começado a trabalhar com a impressora havia pouco tempo e tivemos alguns problemas com os parâmetros de impressão como, por exemplo, a adesão da peça na base da impressora, o preenchimento interno das peças etc. Perdemos muito tempo e material no início, sem contar que a primeira prótese ficou muito frágil e tivemos que descartá-la. Na hora da montagem, também tivemos dificuldades com a passagem dos fios internamente, além que alguns estavam arrebentando quando tensionados. A solução foi usar linha de pesca, que funcionou perfeitamente”, acrescenta Abreu.

protese-3d-4

Impressora 3D utilizada para a fabricação da prótese (Foto: Divulgação)

A usuária da prótese realizará acompanhamento fisioterápico para se adaptar ao mecanismo e poder usá-lo normalmente.

A equipe, também composta pelos alunos Fernanda Virtuozo e Leonardo Janiszevski, recebeu auxílio técnico do Laboratório de Idéias da Prefeitura Municipal de Guarapuava para o desenvolvimento da prótese.

Alunos de Guarapuava montam cursinho gratuito de preparatório para o Enem

Linda iniciativa da galera do Câmpus Guarapuava! <3

Um grupo de alunos dos cursos de graduação da UTF de Guarapuava desenvolve desde o ano passado um curso preparatório para as provas do Enxame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Pró-Enem. As aulas são gratuitas e destinadas a estudantes de baixa renda, em especial aos da rede pública de ensino.

A seleção da turma é feita por meio de uma análise sócio-econômica, que privilegia alunos em situação de maior vulnerabilidade social. As aulas do projeto são focadas nas provas do Enem e abrangem as disciplinas de matemática, química, física, inglês, espanhol e redação.

Voluntário do Pró-Enem, organizado pelo Câmpus Guarapuava

Voluntário do Pró-Enem, organizado pelo Câmpus Guarapuava

“Iniciamos o projeto no primeiro ano com uma turma de 40 alunos e esse ano abrimos duas turmas com 40 alunos. Ou seja, já atendemos em torno de 120 alunos em dois anos”, comemora Gilmar Lejambre, aluno de engenharia mecânica e um dos voluntários do Projeto.

Ah, e os resultados estão por aí! Já foram 10 aprovações em universidades públicas, em cursos como engenharia mecânica, agronomia, química e tecnologia em sistemas para internet.

 

Alunos de Guarapuava tutoriam escolas públicas para a OBMEP

Os alunos do Câmpus de Guarapuava iniciaram no último mês junho um projeto de tutoria nas escolas públicas com o objetivo de estimular a participação dos alunos e professores na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP).

A iniciativa surgiu por causa da demanda das escolas por grupos de estudos para as provas da OBMEP. Nas escolas do município, os alunos já se reuniam em contraturnos para estudar, discutir e aperfeiçoar conceitos matemáticos, mas a falta de monitoria impedia um maior aproveito dos conhecimentos dos estudantes. Foi aí que os professores Alex de Castilho e Marinaldo Gaspareto selecionaram alunos da UTF voluntários para atuar como monitores nesses grupos.

utfpr_guarapuava_tutoria_obmep

Um desses monitores é o Carlos Maia, aluno do terceiro período de Engenharia Mecânica. “O objetivo do projeto é melhorar o desempenho dos alunos em matemática. Num país como o nosso, onde a educação é precária, poder ajudar é gratificante”, comenta o aluno, acrescentando que também gostaria de ter participado de projetos do tipo quando estava no colégio.

O projeto também permite o intercâmbio de conhecimentos entre os alunos de graduação e educação básica, além de (é claro!) motivar os estudantes do ensino médio a cursar a graduação em uma universidade pública federal.

Semana Nacional da Ciência e Tecnologia em Guarapuava, Santa Helena e Toledo

Nesta semana, de 19 a 25 de outubro, em todo o País, é comemorada a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. E é claro que a UTF não vai ficar de fora dessa! 😉

Atividades mais específicas estão sendo realizadas nos Câmpus Guarapuava, Santa Helena e Toledo, com a já tradicional Exposição da Universidade Tecnológica – ExpoUT. O objetivo é trazer a comunidade externa para dentro da Instituição, popularizando, assim, a ciência e a tecnologia.

As programações são bem diversificadas e abrangem exposições de cursos, pesquisas, oportunidades de estágios e empregos e uma série de palestras.

Em Guarapuava, por exemplo, a galera do Câmpus já está mandando ver (confira as fotos aqui do post) e, desde cedo, recebe visitas de alunos de escolas públicas para várias oficias e palestras. Junto com o evento, o Câmpus também realiza o I Fórum Empresarial e Comunitário (Forec), que receberá convidados de diversas frentes de atuação de Guarapuava e região para discutir o papel da UTFPR no desenvolvimento regional. Confira aqui a programação completa.

Em Santa Helena, o evento teve início ontem e segue até a quarta, dia 21. A programação conta com feiras de Profissões, de Empresas e Negócios, de Estágios e Empregos, além da Semana Acadêmica de Ciência da Computação.

Já no Câmpus Toledo, o evento começa no dia 21 e vai até a sexta, dia 23. Dentro da programação, estão o Festival de Talentos Musicais, uma palestra com o tema “Empreendedorismo – mitos, verdades e a confiança em criar e inovar”, mesa redonda com profissionais egressos ainda, além da Feira de Estágios e Profissões.

Mais um pouco do que está rolando em Guarapuava :)