Alunos de Campo Mourão criam nova fonte de Libras

Você sabia que existem mais de 10 milhões de pessoas com deficiência auditiva parcial ou total no Brasil e que a acessibilidade para essas pessoas realizarem atividades do cotidiano ainda é um desafio? Pois é, foi pensando nisso que os alunos Diego Aguiar e Alexandre Nassar, que cursam o ensino médio técnico em Informática no Câmpus Campo Mourão, criaram uma fonte tipográfica em Libras (a Linguagem Brasileira de Sinais) compatível com todos os sistemas operacionais de computador: Mac OS, Linux e Windows.

A ideia surgiu por meio de um projeto de extensão coordenado pelo professor Ricardo Sander, que visa aproveitar os conhecimentos da área de informática para contribuir com a comunidade externa, disponibilizando a fonte para o público gratuitamente. Também colaborou para a criação do projeto o fato de que a última fonte em Libras é de 2002 e já tem mais de 15 anos, ou seja, não evoluiu paralelamente à língua portuguesa.

Para criar a fonte, foi necessário um trabalho minucioso onde os alunos passaram por várias etapas, trabalhando com diversos equipamentos e softwares até sua implementação na forma de fonte tipográfica, com um sistema de formulação totalmente inédito, criado pelos próprios alunos. Olha só o resultado final:

15036625_670337776476659_7357072935229434422_nPara os deficientes auditivos, o alfabeto manual (datilologia) é muito importante na língua de sinais pois permite que palavras que ainda não tenham um sinal definido sejam soletradas, funcionando como um elo entre a língua de sinais e à língua oral.

E os resultados ao longo do ano foram melhores do que o esperado. “Estamos extremamente felizes e satisfeitos, pois já obtivemos mais de cinco mil cliques em download por todo Brasil, mais de 600 curtidas em nossa página do Facebook, diversos minicursos e aulas que utilizam nossa fonte. Além de inúmeras mensagens de agradecimento e reconhecimento do nosso projeto, sobretudo de professores de Libras de inúmeras regiões brasileiras”, destaca Diego.

Alexandre ressalta que a contribuição com um público que necessita deste recurso vale muito a pena: “Há inúmeras formas de contribuir para uma sociedade melhor, desde trabalho de caridade, políticas, qualificação, acessibilidade e inclusão. Acreditamos que o projeto Libras 2016 será uma ótima ferramenta principalmente para o ensino da língua. Sentimo-nos bem por saber que contribuímos nesse sentido”.

Quer ter a fonte em seu computador? Siga os passos para obter uma fonte leve, gratuita, inclusiva e muito fácil para instalar:
Link para download (.otf)
Link para download (.ttf)
– Abra o arquivo baixado em seu computador e clique em “Instalar”
– Pronto, agora em qualquer editor de texto você consegue utilizar a fonte do projeto Libras 2016!

Vem aí o XX Sicite

Victor Soares, vencedor do prêmio de melhor trabalho do Sicite 2014

Tem um trabalho de iniciação científica que gostaria de divulgar? Então participe do XX Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, Sicite, entre os dias 14 e 16 de outubro, no Câmpus Campo Mourão.

O seminário tem como objetivo oferecer oportunidade de divulgação dos trabalhos de iniciação científica e tecnológica desenvolvidos por pesquisadores e alunos. Não somente isso, os alunos ainda terão a oportunidade de ter seus trabalhos avaliados pela comunidade acadêmica e também divulgados para a sociedade.

Para participar, caso você seja um bolsista PIBIC/PIBITI, é preciso enviar um resumo e um relatório de pesquisa. Caso você seja um voluntário IC/IT cadastrado junto à PROPPG e queira ser certificado como tal, também é preciso um resumo e um relatório de pesquisa. Para os demais, é preciso submeter apenas o resumo.

Os resumos deverão ter de 1.500 a 2.000 caracteres, com o ênfase ao problema que foi estudado, à metodologia usada para o estudo e aos resultados obtidos na pesquisa.

E atenção! O envio dos trabalhos será até o dia 4 de outubro.

Para mais informações, visite o site do Sicite.

Calourada Solidária em Campo Mourão

Solidariedade e muita diversão! Foi assim que os veteranos recepcionaram os calouros dos sete cursos de graduação do Câmpus Campo Mourão. O evento, realizado no último dia 18, reuniu os alunos em um momento de integração em torno de uma gincana superdescontraída.

Mesmo antes do evento principal, os alunos já se movimentavam para a atividade de arrecadação de alimentos e ração animal. O resultado? Ao todo, foram mais de 300 kg de alimentos destinados à Casa de Passagem São José, um albergue da cidade que atende em média1200 pessoas por ano, e 1 tonelada de ração doada aos Protetores de Animais Independentes (PAIS), entidade que cuida de mais de 600 cachorros abandonados.

Mas como ♪ ♫  a gente não quer só comida, a gente quer bebida, diversão e arte ♪ ♫, a programação do evento também contou com a apresentação da peça teatral “Politikós” (foto abaixo), uma comédia baseada no atual cenário político-sócio-cultural do país.

E no dia da gincana a animação ficou por conta da banda Nos Pudendo.

“Conversando com as turmas de quando não tínhamos esse evento para as que já participaram dele, conseguimos notar uma grande diferença na mente e também em como a calourada os ajudou na socialização com os alunos tanto veteranos como outros calouros. É uma ótima oportunidade para aumentar a socialização no campus, ajudar na ambientação dos calouros e também se divertir sem humilhar ou machucar o próximo”, destaca a aluna Manuella Siqueira, uma das organizadoras do evento.

Todas as atividades realizadas somaram pontuação para a gincana final, que teve como equipe vencedora a galera de Engenharia Civil. Como premiação, a galera ganhou um churras na faixa!

Mas cá pra nós, com tantas coisas legais o que menos importou foi a equipe vencedora. Não é mesmo? 😉

O evento já é uma tradição no Câmpus. Quer ver? Pois confere aí algumas fotos desta e de outras edições da Calourada. 😀