Equipe da UTFPR conquista 3° lugar no Hackathon Sesi 2017

A UTFPR foi um dos destaques da edição 2017 do Hackathon Sesi, com o 3° lugar da competição \o/

A equipe composta pelo servidor Pedro Monteiro e pelo aluno Cleiton, do Câmpus Curitiba, trouxe indicadores de 2016 para criar um software de inteligência que identifica se o trabalhador está com alguma situação ergonômica inadequada, falta de EPI ou próximo a alguma estrutura que indique perigo. A notificação é em tempo real.

hackaton

Cleiton e Pedro, membros da equipe que conquistou o 3° lugar na competição (Foto: Divulgação)

Após 36 horas ininterruptas de competição, os jurados elegeram os melhores projetos de acordo com os seguintes critérios: impacto, viabilidade da implementação, inovação para o mercado, qualidade do produto, criatividade da ideia e aplicação na indústria, sendo este último o critério com maior peso.

Confira os dois primeiros colocados:

1° lugar –  aplicativo que permite ao trabalhador solicitar auxílio caso seja vítima de um acidente de trabalho. A plataforma serve para coleta de dados, aumento da produtividade e aproximação entre empresa e trabalhador.

2° lugar – aplicativo que libera ou proíbe o acesso do trabalhador no ambiente laboral de acordo com o uso de EPIs. Com isso, eles esperam que as empresas diminuam os gastos com indenizações ou processos trabalhistas. O software funciona com um sensor que emite um alerta.

Hackathon Sesi

A maratona de inovações tecnológicas foi realizada nos 24, 25 e 26 de março e reuniu estudantes e profissionais de diversas áreas com um mesmo objetivo: propor soluções para os principais desafios em segurança e saúde nas empresas.

 

Câmpus Cornélio Procópio desenvolve aplicativo com glossário de biologia para alunos surdos

Tecnologia e acessibilidade. O Grupo de Pesquisa em Estudos sobre a Pequena Empresa e o Empreendedorismo do Câmpus Cornélio Procópio desenvolveu um aplicativo com o objetivo de atender a necessidade de acesso aos conteúdos científico-biológicos para alunos surdos do ensino médio, o Glossário de Biologia em Libras (GlossLibras).

00459_app_glosslibras_2707836661718442869

Elaborado a partir de uma pesquisa de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Sociais e da Natureza (Câmpus Londrina), de autoria do aluno Julio César Correia, o aplicativo disponibiliza uma série de termos da área das ciências biológicas com as respectivas representações na Língua Brasileira de Sinais (Libras).

A opção de difusão do glossário via aplicativo visa atender um número maior de interessados e contribuir para a assimilação dos sinais. Segundo o professor Jair de Oliveira, coordenador-geral do projeto, o acesso móvel facilita o processo de aprendizado dos alunos, a transmissão dos conhecimentos por parte dos professores e também a tradução dos sinais pelos interpretes. “Espera-se, com esta ação, atender uma demanda latente de mecanismos de apoio para o ensino de biologia no ambiente escolar”, comenta Jair.

O projeto também contou com apoio do Programa de Bolsas para o Desenvolvimento de Recursos Educacionais Aberto, do Programa de Bolsas de Fomento às Ações de Graduação da UTFPR.

O aplicativo está disponível para aparelhos com sistema android e o download pode ser feito gratuitamente.

Alunos de Cornélio Procópio conquistam 1° lugar em competição de startup

Olha só como essa galera tá arrasando no empreendedorismo!

A equipe Cognitiva, formada por empreendedores da Incubadora de Cornélio Procópio conquistaram o 1º lugar na edição anual da Startup Weekend. O evento de empreendedorismo internacional, que é o maior entre os de startups no mundo, aconteceu nos dias 24, 25 e 26 de junho, no Sebrae de Londrina.

sebrae_londrina

A equipe desenvolveu um aplicativo, o GeoPromo, que recomenda promoções de restaurantes e bares para pessoas próximas a esses estabelecimentos, nomeado como GeoPromo. A ideia foi desenvolvida para a participação no evento e está, agora, em fase de protótipo.

“Este tipo de evento é de extrema importância na minha formação acadêmica e profissional, pois eventos relacionados à empreendedorismo fazem com que se possa ver além do que é ministrado dentro de uma sala de aula, com situações reais”, comenta Thayna Gimenez, aluna do 7º período de Engenharia de Computação e integrante da equipe.

Parabéns, galera!

Mestrandos de computação projetam aplicativo para empreendedores

Empreender não é uma tarefa fácil! Diversas informações são necessárias para montar um bom plano de negócio. O problema é que essas informações nem sempre são encontradas com facilidade. É aí que entra o auxílio da tecnologia.

Alunos do mestrado em Computação Aplicada (Câmpus Curitiba) estão desenvolvendo um aplicativo que reúne as informações necessárias para formulação de um negócio. Trata-se do “Minha Cidade Inteligente”, que organiza e sistematiza todos os dados fornecidos pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC).

Os usuários ainda podem fazer uma análise histórica da abertura e fechamento de estabelecimentos em determinado local da cidade. Todo o estudo é feito pelos alunos Bruna Silva, Josana Bujokas da Rosa, Juan Jose Rodriguez e Marcos de Moraes, e conta com orientação da professora Nádia Puchalski.

Quer conhecer um pouco mais do projeto? Que tal ver a apresentação dos próprios alunos?

O vídeo conquistou o 1° lugar no XXXIII Simpósio Brasileiro de Telecomunicações, realizado na cidade mineira de Juiz de Fora. 😀

Aluno desenvolve aplicativo com informações acadêmicas

Começo de semestre na UTF nem sempre é fácil. Novas disciplinas, novos professores, às vezes até novas turmas para interagir. E aquele momento da vida do qual todos são vítimas: a dificuldade em descobrir – faltando 3 minutos para começar a aula – em qual sala a nova disciplina, o novo professor e a nova turma estão. Pensando nisso, um aluno do Câmpus Dois Vizinhos criou um aplicativo que, entre outras funções, mostra de forma rápida e simples a grade horária dos estudantes. Conheça o Aluno UTFPR, um app que pode ajudar a revolucionar a indústria do desculpa professor, é que meu celular não despertou…™. :)

O aplicativo, criado pela startup Appipoka, além de ser capaz de informar o horário das aulas e as respectivas salas, também mostra as disciplinas matriculadas e outras Informações do estudante como coeficiente, curso, período, turno e câmpus – tudo a partir do Registro Acadêmico (RA) e senha do aluno.

Segundo Reinaldo Fernandes, calouro da UTF em Engenharia de Software e um dos autores do projeto, o aplicativo ainda não está em sua versão final. A ideia da Appipoka é receber feedbacks dos usuários para melhorar o programa. Nesse sentido, o app tem um campo que permite aos estudantes enviarem sugestões de aprimoramento.

A Appipoka

A startup foi fundada em 2013 e trabalha para trazer soluções inovadoras para o mercado mobile. A fábrica de aplicativos também conta com trabalhos voltados à educação, comunicação, gestão de contatos e conferências de loterias.

E aí, gostou do app? Baixe, faça um teste e nos deixe um comentário. Nós do Blog do Aluno também experimentaremos para trocar impressões. 😉