Alimento: do prazer à angústia

00647_colunapersonaconsumo_3861542987845778788Se voltarmos a época do homem pré-histórico, perceberemos o quão comum era viver em períodos de escassez alimentar. Toda forma de comida animal ou vegetal era fonte imprescindível para cobrir as demandas energético-proteicas do indivíduo. Além disso, a necessidade de acumular energia corporal para sobreviver por longos períodos de inverno ou seca rigorosos era fundamental.

Após esse período, a humanidade ainda passou por muitos conflitos regionais e mundiais e que condenaram populações inteiras à fome severa. Isso fez com que as pessoas fizessem estoques de energia no organismo pelo medo da fome.

Por milhares de anos a obesidade foi associada a uma doença que afetava apenas os mais ricos. Alimentos – especialmente os mais saborosos e ricos em calorias – eram simplesmente caros demais para que o cidadão comum pudesse obtê-los. Poucos podiam se dar ao luxo de serem gordos e demonstrar sua prosperidade.
Em pleno século XXI, vivemos o oposto. Com a oferta facilitada a uma imensa variedade de alimentos e num período em que muito se esclarece sobre a importância em ter uma alimentação consciente e saudável, aumentam os índices de obesidade e anorexia associados à forma como as pessoas lidam com o alimento quando o entendem como objeto supridor de carências ou de culpa por não se ter um corpo idealizado.

Alimentos estão mais baratos e mais disponíveis. Os mais calóricos podem ser encontrados nos mais variados locais. Hoje, sabemos que obesidade e anorexia matam e a melhor estratégia para o combatê-las é a informação.

Vemos o homem contemporâneo tentando “lutar” com um leão por dia ou “fugir” dele armado de consciência, informações e tecnologias em seu benefício, mas, em vão, já que seu maior combustível, a energia obtida pelo alimento, padece pela sua falta ou excesso.

As pessoas parecem estar tomadas pelo gene do Homem primitivo que, sem escolhas, transitava pelos extremos alimentares.

Auxílio Estudantil 2016.2

Foi publicado nesta quarta-feira (8) o edital para concessão de bolsas do programa de auxílio estudantil para o segundo semestre letivo de 2016. As bolsas são destinadas aos alunos da UTFPR que possuem renda familiar de até um salário mínimo e meio por pessoa.

Uma das novidades do edital é a separação dos candidatos em três grupos: GE01 – que abrange os alunos que já estão matriculados na Universidade até a data de publicação do edital; GE02 – alunos com matrículas efetivadas entre 10 de junho e 27 de julho; e GE03 – alunos com matrículas efetivadas entre 16 e 25 de agosto. Cada grupo terá um período específico para inscrição, entre os dias 20 de junho e 26 de agosto.

Ao todo, são quatro modalidade disponibilizados pelo Programa, sendo eles: auxílio alimentação, em forma de crédito nos Restaurantes Universitários da Instituição, com exceção das unidades que não possuem RU, que receberão um valor mensal; auxílio básico, no valor de R$ 200 mensais; auxílio moradia, no valor mensal R$ 300 para alunos que atenderem aos requisitos; e auxílio instalação, concedido em uma única parcela aos alunos ingressantes no valor de R$ 400.

Tá, mas como posso fazer minha inscrição?

Para se inscrever, o aluno deve preencher e enviar o Formulário para Solicitação de Auxílio Estudantil, que pode ser do tipo Completo ou Resumido, dependendo do GE do estudante. Os dois formulários podem ser acessados diretamente no Portal do Aluno. Também é preciso fazer a entrega da documentação exigida no edital ao Núcleo de Assistência Estudantil (Nuape) do respectivo câmpus. Mas atenção! Essa entrega da documentação, no entanto, é facultada aos estudantes do grupo GE01 que desejam manter o mesmo Índice de Vulnerabilidade do 1° semestre.

Abertas inscrições para as bolsas de auxílio estudantil do segundo semestre

Já estão abertas as inscrições para o processo seletivo do Auxílio Estudantil do segundo semestre letivo de 2015. Para os veteranos, o prazo é até o próximo dia 30 para inscrição online e entrega dos documentos no Nuape – exceção aos veteranos do Câmpus Pato Branco que terão até o dia 3 de julho para se inscreverem.

Pode ser candidato o aluno regularmente matriculado em cursos presenciais da UTF, que tenha renda familiar per capita inferior a um salário mínimo e meio nacional.

Conheça as diferentes bolsas oferecidas:

Auxílio Alimentação: concedido na forma de crédito para refeição nos Restaurantes Universitários da Instituição; para os estudantes do Câmpus Santa Helena, que ainda não possui Restaurante Universitário, será concedido um valor mensal de R$ 150,00;
Auxílio Básico: concedido na forma de recurso financeiro, no montante de R$200,00 mensais;
Auxílio Moradia: concedido para os alunos que moram fora do seu domicilio familiar, é ofertado o Auxílio Moradia no valor mensal de R$ 300,00;
Auxílio Instalação: concedido em uma única parcela e destinado exclusivamente ao estudante ingressante. O valor de R$400,00 visa contribuir com as despesas relacionadas com a instalação do estudante no município onde está situado o Câmpus da UTFPR.

As inscrições online estão divididas em duas modalidades:

Modalidade 1 – preenche-se o Termo de Compromisso Resumido. É destinado ao estudante que já teve auxílio concedido no primeiro semestre letivo de 2015 e deseja manter o mesmo índice de vulnerabilidade, ou seja, a pontuação obtida na avaliação anterior. É importante lembrar que o estudante irá concorrer com os demais inscritos em igualdade de condições.

Modalidade 2 – preenche-se o Termo de Compromisso Completo. É feito para calouros e demais veteranos, que farão o novo cadastro do perfil socioeconômico e atualização dos dados de composição familiar.

A lista de documentos exigidos e o prazos de inscrição para os calouros estão no edital. Para mais informações, acesse a página do Auxílio Estudantil, ou dê uma passadinha no Nuape do seu câmpus.

Boa sorte a todos. :)

Bateu aquela fome, e agora?

Na hora da fome, não tem nada que universitário que mora sozinho goste mais do que aquela comidinha rápida, fácil e barata! Pensando nisso e em ingredientes que você provavelmente tem em casa, separamos três receitas no melhor estilo “não sei cozinhar nada, mas preciso comer” 😉

Que tal um misto quente gigante? Pega aqueles pães de forma que estão dando sopa por aí, e mãos à obra. Vale até chamar uns amigos para experimentar essa especiaria da culinária. É só clicar nas imagens pra conferir as receitas.

Pra lembrar daqueles almoços familiares de domingo, a gelatina mosaico é uma boa pedida. Visualmente e saborosamente linda.

E pra fechar, não podemos esquecer do querido macarrão instantâneo nosso de cada dia, que aqui vira uma deliciosa e prática lasanha. Quem diria…

O que você faz a hora que a fome bate? Tem alguma receita pra compartilhar com a galera? Comente!

Alimentação no período de provas

Frutas podem ser consumidas tanto na véspera quanto no dia da prova (Imagem: Office)

Em época de entrega de trabalhos e realização de provas é normal que os estudantes fiquem mais nervosos e passem a descuidar dos hábitos alimentares. A verdade é que manter uma alimentação equilibrada ajuda até mesmo na finalização das atividades acadêmicas. Confira algumas dicas para não descuidar da alimentação nestes períodos!

Durante os dias de prova deve-se evitar pular refeições, principalmente o café da manhã, e não substituir as refeições por lanches rápidos. Estes são geralmente mais calóricos e pobres em nutrientes e podem resultar em períodos de sonolência e lentidão no raciocínio.

Se o aluno for realizar provas muito longas, é recomendada à ingestão de barrinhas de cereais ou de chocolate (ao leite ou amargo), para suprir o desgaste de glicose do cérebro. Os alunos mais nervosos podem tomar uma xícara de chá de camomila ou erva cidreira na noite anterior. Antes da prova, o suco de maracujá também pode ser um excelente aliado.

Toda refeição neste período deve conter fontes de carboidratos como arroz, macarrão, vegetais e pães, já que são fontes importantes de energia. Alimentos como sardinha, lentilha, mel, laranja, banana, kiwi, abacate e manga ajudam a diminuir a ansiedade. …Continue lendo…