Câmpus Pato Branco finaliza preparativos para o Projeto Rondon 2017

E quem disse que julho é mês de férias? Para uma galera do Câmpus Pato Branco, é hora de meter o pé na estrada e compartilhar o conhecimento aprendido aqui na Tecnológica.

Os alunos estão em fase final de preparação das atividades que irão desenvolver no Projeto Rondon, na Operação Serra do Cachimbo, mais especificamente na cidade de Itaúba, no Mato Grosso. Durante pouco mais de 15 dias, de 14 a 30 de julho, a equipe da Tecnológica irá ministrar uma série de oficinas, entre elas: ‘A Arte de Contar Histórias’, ‘Água e Qualidade de Vida’, ‘Sistemas Individuais de Tratamento de Esgotos’, ‘Empreendedorismo: Discutindo Possibilidades’, ‘Associativismo e Cooperativismo’, ‘Instalações Elétricas: Capacitação e Aprimoramento’ e ‘Bomba Carneiro’.

Rondonistas do Câmpus Pato Branco (Foto: Divulgação)

Rondonistas do Câmpus Pato Branco (Foto: Divulgação)

“É a oportunidade de colocar todo o conhecimento agregado no curso de Administração em prática e transferi-lo para alguém que não teve a mesma oportunidade de estudo, por exemplo. Nossa equipe aqui da UTFPR de Pato Branco acredita que o aprendizado será recíproco e a viagem ao autoconhecimento será inevitável”, comenta Patiuska Vagner Oro, aluna do curso de Administração.

Também fazem parte da equipe, coordenada pelos professores Giovana Faneco Pereira e Thiago de Oliveira Vargas, os alunos Amanda Santos de Lima (Química), André Luiz Simonetti (Agronomia), Anelise Dick (Engenharia Civil), Fernanda Sanches Busch (Letras), Franciele Paludo (Agronomia), Maria Helena Belusso (Engenharia Elétrica) e Willians Raphael Francelino (Engenharia Mecânica).

Projeto Rondon

Coordenado pelo Ministério da Defesa, o Projeto Rondon tem por finalidade levar as Instituições de Ensino Superior (IES) e seus estudantes a diferentes regiões do Brasil, dando-lhes a oportunidade de conhecerem diferentes realidades, socializarem seus saberes e, na interação com as comunidades, elaborarem propostas e criarem soluções participativas, de modo a atenuar as deficiências estruturais locais, contribuir para o bem-estar dessas populações e, simultaneamente, consolidar a formação dos universitários como cidadãos.

 

Compartilhe

  • Facebook
  • Twitter
  • Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *