“Nossa missão de formar multiplicadores se mostra cumprida”, diz aluna participante do Projeto Rondon

Oficina de horta comunitáriaOs alunos que participaram do projeto Rondon já retornaram a seus lares e trouxeram junto a experiência de ter dedicado seu tempo ao próximo. Como foi o caso da aluna de Engenharia Ambiental do Câmpus de Francisco Beltrão, Camila Grünwaldt, que conta que o projeto proporciona um grande crescimento profissional e pessoal.

Estudante do 8º período do curso, Camila comenta que a motivação de se tornar rondonista era que o projeto a daria a oportunidade de conhecer outras realidades e, desse modo, poderia contribuir com os conhecimentos que aprendeu na sala de aula, “O projeto é algo que foge ao protocolo e que te ensina a ser flexível”.

A equipe de Francisco Beltrão embarcou para Vargem Alta, no Espirito Santo. O objetivo era executar ações de desenvolvimento sustentável buscando o bem-estar da população. “Ao chegarmos no município, o cronograma foi totalmente alterado a fim de atender o que nos era solicitado” relembra a aluna, “Trabalhei com um público extremamente heterogêneo e de todos guardo com carinho pequenas lembranças. Somado a isso, o reconhecimento através de gestos e palavras, torna toda a caminhada extremamente gratificante. E é por meio destas atitudes que a nossa missão de formar multiplicadores, se mostra cumprida”.

Após o período em que esteve fora, Camila tira como experiência a oportunidade de ser flexível quando for trabalhar com públicos variados, entendendo que cada grupo exige uma linguagem expecífica. “Indico a todos que se atentem aos editais e que se permitam a oportunidade de participar deste projeto maravilhoso que causa muito mais que amadurecimento pessoal e profissional”, encerra.

O projeto Rondon envia convite para todas as Instituições de Ensino Superior do país, duas vezes ao ano, para inscrição no processo seletivo do ano seguinte.

Os alunos que participaram da Operação foram: Camila Salete Grünwaldt,  Cristina Belincanta, Daniela da Silva, Jaqueline de Moura, Luana de Mello, Luiz Carlos Santos da Silva Junior, Tatiane Batista dos Santos e Vanessa Patel. Eles foram acompanhados do professor Flávio de Almeida e Silva e da professora Andréa Badar.

Como participar:

Para saber mais, confira o site do Projeto Rondon.

Estudante da UTFPR desenvolve plataforma para empréstimo de livros

Mais que uma tendência de mercado, as plataformas colaborativas têm se popularizado pela vasta oferta de produtos e serviços. E é claro que elas também têm espaço para os nossos companheiros de todas as horas, os livros!

É o caso do Matchbook. Desenvolvida pelo aluno da MBA em Gestão de Negócios do Câmpus Curitiba, Leonardo Teixeira, em parceria com Lucas Teixeira e Marcelo Gomes, a plataforma permite o empréstimo de obras literárias entre seus usuários garantindo a entrega do exemplar físico até o cliente.

site_matchbook

Site disponibiliza diversos gêneros, desde as romances até livros acadêmicos

Com um valor fixo mensal de R$ 19,90, o Matchbook garante ao usuário a opção de escolher um título do catálogo e, no prazo de 24 horas, recebê-lo no local desejado. O empréstimo dura o tempo que o assinante desejar e, após a leitura, o livro é recolhido. Cada usuário pode solicitar um exemplar por vez, mas não há um número máximo de empréstimos mensais.

E tem gênero para todo gosto: suspense, romance, policial, autoajuda, biografia, história, literatura internacional, administração, ciências sociais, gastronomia e por aí vai. Ah, o site também funciona como uma rede social, que possibilita a interação entre os usuários para debates e classificação das obras.

Quer conhecer mais ou assinar os serviços do Matchbook? Acessa aí a página dos caras: http://www.matchbook.com.br/

 

Alunos de Guarapuava montam cursinho gratuito de preparatório para o Enem

Linda iniciativa da galera do Câmpus Guarapuava! <3

Um grupo de alunos dos cursos de graduação da UTF de Guarapuava desenvolve desde o ano passado um curso preparatório para as provas do Enxame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Pró-Enem. As aulas são gratuitas e destinadas a estudantes de baixa renda, em especial aos da rede pública de ensino.

A seleção da turma é feita por meio de uma análise sócio-econômica, que privilegia alunos em situação de maior vulnerabilidade social. As aulas do projeto são focadas nas provas do Enem e abrangem as disciplinas de matemática, química, física, inglês, espanhol e redação.

Voluntário do Pró-Enem, organizado pelo Câmpus Guarapuava

Voluntário do Pró-Enem, organizado pelo Câmpus Guarapuava

“Iniciamos o projeto no primeiro ano com uma turma de 40 alunos e esse ano abrimos duas turmas com 40 alunos. Ou seja, já atendemos em torno de 120 alunos em dois anos”, comemora Gilmar Lejambre, aluno de engenharia mecânica e um dos voluntários do Projeto.

Ah, e os resultados estão por aí! Já foram 10 aprovações em universidades públicas, em cursos como engenharia mecânica, agronomia, química e tecnologia em sistemas para internet.

 

Ação para reduzir o consumo de descartáveis no RU do Câmpus Curitiba

Já parou pra pensar na quantidade de descartáveis que consumimos?

Pois é, só no Restaurante Universitário (RU) do Câmpus Curitiba são 2 mil e 500 unidades de copos descartáveis que, logo após o almoço, seguem direto para o lixo. Achou muito? Agora imagina isso ao longo de todo um ano letivo!

E para conscientizar geral sobre o tema, um grupo de alunas do curso de Design iniciaram neste semestre a campanha ‘Meu Caneco’.  Agora, todas as quartas-feiras o próprio RU do Câmpus Curitiba deixa de fornecer copos descartáveis para o open suco, estimulando assim, os alunos a trazerem seus copos e canecas.

IMG-20160817-WA0011

Ação propõe a substituição de copos descartáveis por canecas (Foto: Divulgação)

“O objetivo era criar uma campanha gráfica a ser utilizada no Câmpus alertando alunos e servidores sobre alguns problemas que temos em relação a geração de resíduos, energia, consumo, desperdício de recursos e entre outros. Optamos por trabalhar a geração de resíduos no RU e percebemos que os copos descartáveis são a questão mais problemática e resolvemos focar nisso”, conta Bianca Giordani.

Também fazem parte do projeto as alunas Amanda Monteiro, Carolina Baronio e Fernanda Machoseki, além do próprio RU, o Núcleo de Educação e Direitos Humanos (Nuedh) e o Projeto Jogada Certa.

Então, que tal adotar permanentemente esse hábito? Não custa nada e, com todos juntos, pode ser uma grande ajuda para o meio ambiente!

Vídeo do Câmpus Apucarana é um dos vencedores do Desafio Zika Zero

O Câmpus Apucurana participou do desafio EducAção #ZikaZero e venceu a fase estadual do projeto. Organizada pelo Ministério da Educação, a campanha tem como objetivo promover uma ação nacional de combate ao Aedes aegypti e à microcefalia. Após a primeira fase, os finalistas agora passam por um júri técnico e uma votação popular. Os vídeos vencedores receberão prêmios de até R$ 25 mil.

Vídeo do Câmpus Apucarana está entre os finalistas

Vídeo do Câmpus Apucarana está entre os finalistas do Zika Zero

E é a partir de agora que todo mundo entra na jogada para poder ajudar a galera de Apucarana. Sim, porque um dos critérios da etapa nacional é o voto popular. Para votar, basta entrar na página do Programa, escolher o vídeo da UTF, clicar em ‘votar’ e cadastrar seu e-mail ou logar com sua conta do Facebook.

O vídeo relata uma pesquisa, coordenada pelo professor Halison Golias, que coleta informações sobre o comportamento do inseto transmissor da dengue, zika e chikungunya. A pesquisa é realizada há três anos e também envolve orientação a alunos, servidores e comunidade externa.

O concurso teve, em todo o país, mais de 1,5 mil participantes e mais de 1,2 mil propostas apresentadas desde o final do mês de junho. Os grupos são separados por categorias: institutos e universidades, escolas públicas e pessoas físicas.