Manual básico de fotografia pra mandar ver no concurso #UTF10anos

Empolgado para o concurso de fotografia da UTFPR e tem algumas dúvidas técnicas ou não sabe por onde começar? Calma que lhe ajudaremos a dar o primeiro passo! Segue um mini manual ~ super ~ básico pra fotografar sem medo e garantir o pódio entre as melhores fotos. Vamos lá? :)

I. Conheça a sua câmera e esqueça o automático
Há diversos tipos de câmeras fotográficas e é importante que você conheça as funcionalidades da sua. As fotos podem ficar muito mais especiais se você abandonar o modo automático, mas isso vai exigir um pouco de paciência e conhecimento.
Neste mini manual, abordaremos algumas funções comuns a alguns tipos de câmera (tanto compactas quanto DSLR’s) para você tirar fotos no modo ideal de acordo com a luminosidade do ambiente a ser fotografado. Ler o manual do equipamento, mexer um pouco no menu e praticar são boas pedidas.

II. A fotografia começa quando se liga a câmera
O ideal antes mesmo de começar a fotografar é ajustar seu equipamento. Para exemplificar, esta imagem representa o menu de alguns modelos de câmera DSLR (se sua câmera for compacta, provavelmente essas funções estarão separadas em um menu principal).

  1. Qualidade de Imagem: Primeiríssimo item e super importante de ser ajustado! É nele que você irá configurar o modo de gravação da imagem, tamanho e qualidade.  No modo de gravação, pode-se escolher em que tipo de arquivo a foto será armazenada (JPEG [imagem comprimida, leve, mas com perda de detalhes] ou RAW [imagem crua, pesada e melhor para edição]).
    Já ao configurar o tamanho e qualidade, essa alternativa propõe tamanhos diferentes de imagem como o Large (alta qualidade, com resolução máxima) ou Medium e Small (condição que reduz tanto o tamanho quanto a qualidade).
  2. Modo Manual: Nele, você escolhe os principais comandos como tamanho da abertura, velocidade do obturador, qualidade de imagem, balanço de branco, entre outras funções vitais para uma boa fotografia, que estão explicadas logo abaixo 😀
  3. Velocidade do Obturador: Este comando é responsável por controlar o tempo de disparo do obturador e captar o movimento da cena (A). Não existe uma regra de velocidade ideal, isso dependerá da velocidade do objeto a ser fotografado e pode ser usado intencionalmente também. Por exemplo, velocidades baixas tendem a borrar algum movimento, enquanto velocidades altas podem congelar (B). Outro elemento artístico muito utilizado é a longa exposição que, com a ajuda de um tripé, controla a quantidade de luz que entra na câmera durante determinado tempo e pode render belos resultados de cachoeiras e fotos do céu à noite(C), por exemplo.

    (A) Velocidades do Obturador

    (B) Exemplo de velocidades que permitem congelar ou borrar movimento.

    (C) Exemplo de foto em longa exposição

  4. Abertura do Diafragma: O diafragma é o conjunto de lâminas que possibilita a passagem de luz para o sensor da câmera. Somada ao foco, este ajuste permite certa nitidez dos planos anteriores e posteriores relacionados ao objeto fotografado. Isso se chama profundidade de campo (D), e é um bom artifício quando se planeja enfatizar algo em uma cena, por exemplo.

    (D) Aqui pode-se observar claramente a profundidade de campo e o desfoque provocado pelas diferentes aberturas do diafragma.

  5. ISO (Grau de sensibilidade a Luz): É um índice padrão que representa a sensibilidade do sensor ao capturar a luz. Quanto menor a numeração do ISO (25, 50, 100), o sensor está menos sensível a luz, ou seja, é recomendado para ambientes muito iluminados, como luz solar ou estúdio. Ao aumentar o ISO (800, 1600, 6400), mais o sensor está sensível a luz, sendo apropriado para ambientes menos iluminados, como ambientes fechados ou à noite.
    ~ ALERTA~: vale lembrar que ISOs altos alteram a qualidade das fotos, provocando menos nitidez e ruídos visíveis em partes escuras da foto.
  6. Balanço de Branco: Esta função tem como responsabilidade nada menos que manter a fidelidade das cores, refletindo a realidade do que foi fotografado. Leva em consideração a temperatura da cor da fonte de luz, que pode ser quente ou fria. Examine o ambiente em que está fotografando e não se esqueça de experimentar os modos de balanço que garantem uma cor apropriada e parecida com a real do que vc está fotografando. Para facilitar, existem sete modos pré-definidos, e são eles:

    Auto
     – Ajusta o balanço de branco automaticamente, de acordo com as condições de luz existentes em diferentes ambientes, fazendo uma média.
    Incandescente – Recomendados para ambientes fechados, iluminados apenas por uma pequena lâmpada incandescente.
    Fluorescente – Torna as imagens mais claras, realçando as cores mais quentes, compensando as cores frias de um ambiente iluminado por luzes fluorescentes.
    Luz solar direta – Para dias bem iluminados.
    Flash – Para ambientes pouco iluminados, onde haverá necessidade de utilizar p flash.
    Nublado – Compensa a luz em dias nublados.
    Sombra – Usado em ambientes sombreados, produzindo imagens mais frias.

Mas essa é só a parte técnica tá?!
Lembre-se sempre que o mais importante é o sentimento e o momento que podem ser eternizados pela sua fotografia. É como disse o icônico fotógrafo Henri Cartier-Bresson: “Fotografar, é colocar na mesma linha da mira, a cabeça, o olho e o coração”.

Que tal começar a treinar e colocar em prática as lições do manual?! 😉

Peso não é documento!

A serventia do macarrão vai além da gastronomia. É o que os alunos de engenharia civil do Câmpus Pato Branco provaram na Competição de Pontes de Macarrão, organizada durante a Semana Acadêmica do curso.

O desafio é bem simples, pelo menos aparentemente: construir uma estrutura em formato de ponte a partir de fios de macarrão. A ponte vencedora seria a que aguentasse maior carga em relação a seu peso.

O mais interessante é que o exercício permite a aplicação de conhecimentos aprendidos em sala de aula, como é o das disciplinas Resistência dos Materiais e Mecânica dos Sólidos.

E com 907 g, a ponte campeã desta edição suportou incríveis 78 kg! A equipe que realizou o projeto era composta pelos acadêmicos Deisy Eckert, Eloá Eidt, Evelin Montagna, Gabriela Tancon e Janiel Bazzo.

A Semana Acadêmica de Engenharia Civil também ofereceu minicursos e palestras com professores e profissionais da engenharia.

Equipe da UTF se destaca na Competição Latino-Americana de Robótica

E mais uma vez os alunos da UTF se destacam em eventos científicos. Agora foi a vez da XII Competição Latino-Americana e Brasileira de Robótica, realizada entre os dias 18 e 22 de outubro na USP de São Carlos, onde a equipe UTBots se consagrou como um dos destaques da competição.

A equipe, formada por alunos dos cursos de Engenharia da Computação e Sistemas de Informação, conquistou  dois terceiros lugares nas seguintes categorias: RoboCup Simulation 3D e RoboCup@Home. E o feito é ainda maior se comparado com a quantidade de participantes: 750 pesquisadores de diversas instituições da América Latina, divididos em 144 equipes! Ah, a galera ainda competiu nas categorias Futebol de Robôs Simulação 2DSmall Size.

Membros da equipe:

Vinícius Amilgar Brenner (Engenharia da Computação);
Vanessa Schemmes Martins Pinto (Engenharia da Computação);
Emanuel Atanázio (Bacharelado em Sistemas de Informação);
Rodrigo Longhi Guimarães (Engenharia da Computação);
Rafael Jorge Trindade (Engenharia da Computação).
Coordenação: professor João Alberto Fabro, líder do grupo de pesquisa LASER – Laboratório Avançado de Sistemas Embarcados e Robótica da UTFPR.

Membros da equipe UTBots

Membros da equipe UTBots…

... e os troféus trazidos para a UTF!

… e os troféus trazidos para a UTF!

Parabéns, galera! 😀

 

Novas ferramentas ajudam os alunos na área de Exatas

O curso de engenharia não é fácil, hein?! São cálculos e mais cálculos, além de conceitos complicados e as matérias específicas. Por isso, nós separamos alguns aplicativos e sites que podem te ajudar a enfrentar as disciplinas mais complicadas.

Circuitos
AllAboutCircuits.comoferece uma série de livros online em inglês que abordam temas que envolvem as áreas elétrica e eletrônica.
CircuitLab.com: permite o acesso a um editor de esquemas, PDFs, diagramas e circuitos, sem precisar de instalação.
Engenharia Elétrica App: oferta calculadora, circuito elétrico, fórmulas e livros. Também mede o tempo de vida da bateria, a energia armazenada no condensador, a indutância e a capacitância e a tensão de um divisor de tensão de saída.
Engenharia Elétrica – Pack:  possui calculadoras de voltage, de corrente, de resistência e de potência, monofásico – potência, três Phase – potência, monofásico – corrente e trifásico – corrente.

Química
LearnChemE.com: é usado para o aprendizado de engenharia química, por meio de simulações e materiais de apoio de instrutores.

Cálculo
EngineeringToolbox.com: dá ferramentas para fazer cálculos e exercícios de engenharia, como tabelas de conversão e explicações básicas de conceitos teóricos.
Paul’s Online Math Notes: tira dúvidas de matemática.

Eletrônica
EEVblog.com: contém vídeos sobre engenharia eletrônica que podem ajudar na compreensão de conceitos ensinados nas aulas.

Civil
GraphPadPro: permite a criação de projetos à escala. É possível esboçar um desenho, com o ajuste automático das linhas e dos pontos e a indicação da escala do desenho para refletir as dimensões reais do projeto.

Geral
Eng-tips.com: é um fórum online para você fazer perguntas, discutir e esclarecer as dúvidas sobre engenharia.
Matweb.com: ajuda a entender as propriedades dos materiais.
CFD-online.com: visa a melhor compreensão sobre sistemas operacionais.
Engenharia Integral: possui tudo sobre Integral. Visa ajudar estudantes de Engenharia, Matemática, Estatística e demais áreas a entender e memorizar os principais casos de Integração.

Tem mais algum app para nos indicar? Manda pra gente. 😉

 

Inscrições para transferência de cursos começam em novembro

Quem esperou o ano inteiro para poder realizar transferência de câmpus ou de curso, já pode comemorar e preparar a documentação! A Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional (Prograd) lançou nesta quarta-feira (22) o edital do Processo Seletivo de Transferência e Aproveitamento de Cursos de Graduação para o primeiro semestre letivo de 2015.

Poderão participar alunos matriculados regularmente ou com matrícula trancada e candidatos egressos da UTFPR ou de outras instituições de ensino superior. As inscrições estarão abertas durante os dias 17 a 26 de novembro pelo site, na aba “Futuros Alunos”. A ficha de inscrição deve ser impressa e anexada aos documentos e postada via Correios ou protocolada no Derac do câmpus pretendido.

Entre a documentação exigida está o histórico escolar completo e os conteúdos programáticos das disciplinas cursadas. Lembrando que somente serão validadas as inscrições dos candidatos que enviarem todos os documentos listados no edital e dentro do prazo. Terão prioridade no preenchimento das vagas: alunos dos cursos de mesma denominação ou de áreas afins, alunos de câmpus distintos da UTFPR e de outra instituição de ensino pública.

Ah, também é pré-requisito o candidato estar em período igual ou superior ao estabelecido pelo edital em seu curso de origem.

Entre os cursos disponíveis estão Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, Comunicação Organizacional, Administração, Letras Português – Inglês e Química. O quadro completo de vagas ainda será divulgado pela Prograd.

Para mais informações, confira o edital completo.