UTFPR e o Mercado de Trabalho – Licenciatura em Física

Mais uma licenciatura. Hoje vamos conhecer mais sobre o curso e o mercado de trabalho do licenciado em física!

O curso de Licenciatura em Física, ofertado no Câmpus Curitiba, forma professores de física capacitados para dar aulas nos ensinos médio e fundamental (de ciências). Além dos conteúdos tradicionais ministrados em sala, os egressos também possibilitam aos seus alunos o acesso ao saber e fazer científico e tecnológico.

Durante os quatro anos de curso, o aluno é preparado para planejar e desenvolver diferentes experiências didáticas em física e elaborar ou adaptar materiais didáticos de diferentes naturezas, identificando seus objetivos formativos, de aprendizagem e educacionais.

Na UTFPR, o contato com a prática profissional acontece ainda nos primeiros períodos do curso por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid). O programa concede bolsas a alunos de licenciatura participantes de projetos de iniciação à docência desenvolvidos por Instituições de Educação Superior em parceria com escolas de educação básica da rede pública de ensino.

Diante da carência de professores com formação em ciências exatas, o licenciado em física encontra um mercado extremamente aquecido. A demanda é grande tanto em escolas públicas quanto em particulares e cursinhos preparatórios para o vestibular. Segundo o Ministério da Educação, o salário inicial de um professor de educação básica na rede pública é de R$ 1.567 para 40 horas semanais de trabalho.

Pensando em cursar licenciatura em física? Deixe seu comentário!

Aluna de Ed. Física representa UTFPR no Congresso Internacional de Osteoporose

E a UTFPR estará presente no Congresso Internacional de Osteoporose!

Trata-se da aluna de Educação Física Camila Estefani Orsso, que apresentará sua pesquisa desenvolvida no Laboratório Bioquímico e Densitométrico (LABDEN) do Câmpus Curitiba. O evento acontece entre os dias 02 e 05 de abril na cidade de Sevilha, na Espanha.

Camila Orsso no Laboratório Bioquímico e Densitométrico. (Foto: Ascom/Câmpus Curitiba)

O estudo feito por Camila tem como foco a área de saúde da mulher e rendimento esportivo. Mais especificamente, o trabalho analisa a relação entre indicadores antropométricos e níveis de triglicerídeos de mulheres pós-menopáusicas participantes do Programa de Exercícios Físicos para Osteoporose. Desenvolvido em parceria com a colega de curso Pamela Miranda e sob a orientação do professor Oslei Matos, o trabalho é mais um fruto do Programa de Iniciação Científica (Pibic) e foi publicado na renomada revista Osteoporosis International.

Durante o congresso, além de apresentar o trabalho, Camila também poderá participar de cursos ministrados por importantes pesquisadores da fisiopatologia, diagnóstico e tratamento da osteoporose.

Vai com tudo Camila! 😉

Aluno da UTFPR disputa Mundial de Taekwondo na China

Lucas de Krishna Ostapiv já foi destaque aqui no Blog do Aluno quando conquistou o vice-campeonato brasileiro de Taekwondo. Agora, o aluno do Curso Técnico-Integrado em Agrimensura da UTFPR – Câmpus Pato Branco está em Taiwan, na China, se preparando para representar o Brasil no 10º Campeonato Mundial Juvenil de Taekwondo, que será disputado entre os dias 26 e 29 de março.

A oportunidade de competir na China surgiu a partir de uma conquista recente. No final de 2013, Lucas garantiu vaga na Seleção Brasileira de Taekwondo em uma seletiva que aconteceu em Betim-MG. “Estamos de olho também no Campeonato Paranaense e no Brasileiro, mas dá um arrepio pensar que meu irmão vai competir no mundial. Estamos muito orgulhosos”, conta o irmão de Lucas e também atleta, Gabriel Ostapiv.

“Estamos treinando firme para que o Lucas possa fazer boas lutas na China, mas no nível mundial a dificuldade é imensa. Para ter uma ideia, o Brasil nunca conquistou uma medalha de ouro em mundiais”, comenta Fabiano Ostapiv, pai do atleta e professor do Departamento de Mecânica na UTFPR- Câmpus Pato Branco.

Ao Lucas, toda nossa energia e vibrações positivas! 😉

UTFPR e o Mercado de Trabalho – Licenciatura em Ciências Biológicas

Hoje, a nossa série inicia a apresentação dos cursos de licenciatura ofertados pela UTFPR. Para começar, destacamos o mercado de trabalho do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas.

Os estudos da área de biologia são bem amplos. Os profissionais estudam a vida e suas diferentes formas de expressão como, por exemplo, a origem, a estrutura e a evolução dos seres vivos. O curso de licenciatura em ciências biológicas, contudo, tem um enfoque diferente e objetiva formar biólogos com sólida formação pedagógica; ou seja, que possam contribuir para o progresso do ensino de biologia em nossas escolas.

O profissional pode atuar, principalmente, como professor e na gestão educacional dos alunos do ensino fundamental e médio. Além disso, também é possível o envolvimento com atividades  de pesquisas e novas tecnologias ou prestação de serviços à comunidade.

O curso de Licenciatura em Ciências Biológicas é ofertado no Câmpus Dois Vizinhos e tem duração de 4 anos. Sua grade curricular é composta por disciplinas específicas como Biologia Celular, Química Orgânica, Bioquímica, Botânica, Anatomia Humana, Genética e Zoologia; e disciplinas destinadas à formação de professores, como Psicologia da Educação, Didática e Política Educacionais.

Gostou da atuação dessa área? Curta e Compartilhe! 😉

A melhor forma de estudar de acordo com a sua personalidade

O site Universia Brasil reuniu diferentes tipos de personalidades apontando os melhores métodos de estudo de acordo com as características de cada uma. Trata-se de entender o seu “eu” para depois aprimorar o processo de aprendizagem.

Diferentes personalidades exigem diferentes métodos de estudo. (Imagem: Reprodução/Universia)

Estudantes que apreciam a leitura, gostam de jogar palavras cruzadas ou atividades que envolvem letras têm mais facilidade com palavras. Para esse tipo de aluno, o ideal é estudar por meio de fichamentos (pequenas fichas com resumos do conteúdo) e anotações feitas durante as aulas.

Se você prefere os números, tem facilidade com equações e com a lógica e gosta de solucionar problemas racionais, provavelmente vai memorizar o conteúdo se ele for transformado em gráficos ou tabelas numéricas.

Pessoas visuais são aquelas boas com artes e design. Elas gostam de assistir a filmes, visitar museus e são muito criativas. Para esses alunos, a sugestão é transformar o caderno em uma grande tela de pintura; abusando da criatividade!

Alunos apaixonados por música, ritmos e melodias gostam de ir a shows e criar músicas. Essa paixão pode ser utilizada para transformar textos em músicas cantadas. Ah, sem falar que pesquisas indicam que estudar ouvindo música clássica traz diversos benefícios para o processo de aprendizagem.

E aí? Em qual perfil você se encaixa? Já utiliza, mesmo que instintivamente, algum desses métodos? Conta pra gente!