Ada Lovelace Day 2017

Vai ter mulheres na Tecnológica, SIM!

Com o objetivo de mostrar (e celebrar, é claro!) tudo o que foi conquistado pelas mulheres na tecnologia, ciências, matemática e engenharias, o Coletivo Emíli@s – Armação em Bits realizou no último dia 10, no Câmpus Curitiba, o Ada Lovelace Day, evento que apresentou uma série de palestras, oficinas e debates sobre a inserção das mulheres nessas áreas.

Oficina do Ada Lovelace Day 2017 no Câmpus Curitiba

Ada Lovelace Day 2017 no Câmpus Curitiba (Foto: Divulgação)

A iniciativa é organizada pelo Departamento Acadêmico de Informática (Dainf) do Câmpus Curitiba com o objetivo de aumentar a representatividade feminina na área da Computação, despertando o interesse de futuras estudantes e mantendo a motivação das atuais acadêmicas dos cursos de Engenharia da Computação e Sistemas de Informação.

A professora Maria Cláudia Emer, uma das organizadoras do evento, comenta que, apesar dos vários avanços vivenciados nos últimos anos, a questão cultural ainda é um empecilho para inserção das mulheres em cursos de tecnologia, uma vez que graduações nessa área ainda estão relacionados ao esteriótipo masculino.

O ponto positivo é que diversas iniciativas, como o Ada Lovelace Day, visam romper essas barreiras. “Com a realização do evento, nós celebramos as conquistas de mulheres nas ciências e pretendemos alcançar a integração e compartilhamento de experiências entre mulheres e homens nas áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática”, comenta Maria Cláudia.

Ada Lovelace Day 2017 no Câmpus Curitiba (Foto: Divulgação)

Ada Lovelace Day 2017 no Câmpus Curitiba (Foto: Divulgação)

Ada Lovelace Day

O Ada Lovelace Day foi criado com o objetivo de celebrar as conquistas e feitos das mulheres na tecnologia, ciência, matemática e engenharia. O nome da data comemorativa faz referência a Ada Lovelace, matemática e escritora inglesa reconhecida por ter escrito o primeiro algoritmo para ser processado por uma máquina, isso ainda no século XIX. E olha que legal, Ada é considerada a primeira programadora de todos os tempos e não apenas a primeira mulher a escrever um código.

UTFPR conquista premiações no principal evento científico de comunicação

A galera do curso de Comunicação Organizacional (Câmpus Curitiba) trouxe para Tecnológica três premiações da Exposição de Pesquisa Experimental em Comunicação (Expocom), que integra o Itercom, principal evento científico de comunicação no Brasil.

Foram premiados os seguintes projetos:

Categoria Cinema e Audiovisual

Fotografia em Movimento
Cinemagraph: a imagem na moda entre o estático e o movimento (aluna: Thayna Bressan da Silva).

Categoria Relações Públicas e Comunicação Organizacional

Produto de Comunicação Institucional Audiovisual
Produção Audiovisual na Comunicação Organizacional: Movimento ZTGT (alunos: Amanda Mendes, Amanda Cristine, Thayna Bressan, Larissa Alves, Débora Bortolotti, Mariele Figueiro e Matheus Pronunciato).

Planejamento Estratégico de Relações Públicas
Escola de Integração Linyon (aluna: Marina Scheffer de Araujo)

Os projetos foram criados a partir de disciplinas ministradas no curso. O grupo vencedor no ‘Produto de Comunicação Institucional Audiovisual’, por exemplo, desenvolveu um planejamento de comunicação para o Movimento ZTGT.

“Como nossa ideia era dar mais visibilidade ao movimento sociocultural, principalmente em meios digitais, desenvolvemos, especificamente na matéria de Linguagem Visual 2, um vídeo institucional que apresenta ao expectador os objetivos e ideias do Movimento, além de aproxima-lo desse projeto que é tão bacana e especial para nós”, comenta Amanda Mendes, uma das integrantes da equipe vencedora.

Olha só como ficou o vídeo 😉

“Conquistar um prêmio como esse é ter a certeza de que estamos no caminho certo! Ser reconhecido é a motivação que precisamos para seguir em frente e conquistar cada vez mais títulos”, comemora Amanda.

 

Festival da Matemática realiza atividades nos Câmpus Curitiba e Cornélio Procópio

Os Câmpus da Tecnológica nas cidades de Curitiba e Cornélio Procópio realizam neste mês de agosto a primeira edição do Festival da Matemática, evento organizado em alusão ao Biênio da Matemática no Brasil, celebrado entre 2017 e 2018 com o objetivo de disseminar o campo do conhecimento.

20170809_155733

Em Curitiba, o Festival será oficialmente aberto no dia 18, às 14 horas, no Auditório Caio Amaral Gruber, no Centro de Eventos do Sistema FIEP. No dia 19 de agosto, na Sede Centro do Câmpus Curitiba, serão oferecidos cursos com duração de oito horas para professores e estudantes da área – confira aqui a programação completa. Também serão realizadas exposições, oficinas e divulgação de trabalhos e pesquisas sobre a matemática e o ensino de matemática. Clique aqui para fazer a inscrição.

Já no Câmpus Cornélio Procópio, a cerimônia de abertura será realizada no dia 29, às 19h, no Anfiteatro da Tecnológica. Também estão programadas, para o período de 21 a 31 de agosto, oficinas para alunos das redes pública e privada de ensino e exposição de trabalhos acadêmicos.

Sobre o Biênio

Biênio da Matemática no Brasil (2017-2018) foi criado como forma de potencializar dois eventos internacionais da área que serão realizados no Brasil: a Olimpíada Internacional da Matemática (IMO 2017) e o Congresso Internacional de Matemáticos (ICM 2018). A agenda positiva se destina a um público amplo, desde estudantes, professores, pesquisadores e renomados cientistas até o público em geral. O objetivo é envolver toda a sociedade em experiências enriquecedoras no mundo da Matemática.

Desafio de Inovação SBIAgro 2017

Estão prorrogadas até 14 de agosto as inscrições para o Desafio de Inovação SBIAgro 2017. O evento é promovido pelo XI Congresso Brasileiro de Agroinformática (SBIAgro) e tem como objetivo identificar ideias inovadoras e incentivar o desenvolvimento de soluções tecnológicas que contribuam para resolver problemas reais enfrentados pela agricultura brasileira.

sbiagro

Estudantes, pesquisadores ou profissionais podem participar de forma individual ou em equipes com até cinco integrantes. Para isso, é preciso se inscrever no congresso e enviar um protótipo funcional em aplicativo móvel, acompanhado de artigo de uma página que descreva a solução, além de um vídeo de até dois minutos.

Os candidatos podem concorrer nas categorias: júnior, para matriculados no ensino médio; superior, para estudantes de graduação e pós-graduação; ou profissional, para os ligados a empresas de tecnologia ou profissionais liberais. Na categoria profissional, também podem participar equipes mistas formadas por estudantes, professores e profissionais.

As bancas julgadoras serão compostas por especialistas em tecnologia de informação e pesquisadores de ciências agrárias da Embrapa e de instituições parceiras, além de profissionais de mercado e negócios. O Comitê de Avaliação do Desafio vai analisar diversos critérios, como relevância do problema que a solução propõe resolver, qualidade do design e funcionamento do aplicativo de forma correta.

Os três primeiros lugares de cada categoria receberão certificados de participação e os artigos de uma página, correspondentes aos trabalhos selecionados para a etapa final, serão publicados nos anais do SBIAgro 2017. As informações referentes às regras do concurso estão disponíveis no site do congresso e as dúvidas podem ser encaminhadas ao correio eletrônico da comissão organizadora (cnptia.sbiagro2017@embrapa.br).

O Desafio de Inovação SBIAgro 2017 é organizado pela Embrapa Informática Agropecuária (Campinas, SP), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP/Campus Campinas) e TIC em Foco.

(com informações da Embrapa)

Acadêmicos da UTFPR conquistam o recorde brasileiro de minifoguetes

Aqui é recorde brasileiro!

O grupo de Foguetes do Câmpus Francisco Beltrão conquistou o recorde brasileiro de precisão de apogeu na categoria 500 metros. Foram exatamente 506 metros de altitude alcançados pelo minifoguete projetado e produzido pela galera. O recorde já foi reconhecido pela Associação Brasileira de Minifoguetes.

Batizado de Durango 2, o minifoguete foi lançado no dia 18 de abril, em um dos testes preparatórios do grupo Tsiolkovski, para o 4º Festival Brasileiro de Minifoguetes e alcançou a altitude pretendida com um erro de apenas 1,2%. A estrutura principal do foguete é um cano PVC, com as aletas e a ogiva feitas de fibra de vidro. A parte interna foi adaptada para segurar o motor, sendo este feito de inox.

Equipe GFT, nova detentora do recorde brasileiro de minifoguetes (Foto: Divulgação)

Equipe GFT, nova detentora do recorde brasileiro de minifoguetes (Foto: Divulgação)

O grupo Tsiolkovski, é formado por estudantes e professores do curso de Engenharia Química de Francisco Beltrão e de Engenharia Mecânica de Pato Branco, e entre eles, Andreia Dagostini, que conta que é necessário jogo de cintura para fazer tudo funcionar corretamente. “Muita teoria é estudada e um planejamento é feito. Entretanto, quando colocado em prática, várias coisas não funcionam como na teoria, tudo isso exige que pensemos como engenheiros para resolver os problemas com rapidez e eficiência. Um problema encontrado no desenvolvimento do protótipo foi pensar na estabilidade do foguete para que saísse da rampa de lançamento com a velocidade adequada e que o vento não conseguisse mudar sua trajetória”, comenta a aluna.

Dagostini conta ainda que o foco do grupo não era atingir o recorde, e sim realizar os testes para o evento. “Seria nosso único teste para essa categoria do festival. Sabemos que os simuladores não são tão precisos, então ficamos impressionados com a altitude atingida e só depois pensamos no recorde. Enviamos nossos dados e o recorde foi reconhecido. Certamente foi muito gratificante para todos os membros da equipe”, conclui a estudante.

Para conferir os vídeos e updates da equipe, basta seguir a fanpage GFT 😉