Festival da Matemática realiza atividades nos Câmpus Curitiba e Cornélio Procópio

Os Câmpus da Tecnológica nas cidades de Curitiba e Cornélio Procópio realizam neste mês de agosto a primeira edição do Festival da Matemática, evento organizado em alusão ao Biênio da Matemática no Brasil, celebrado entre 2017 e 2018 com o objetivo de disseminar o campo do conhecimento.

20170809_155733

Em Curitiba, o Festival será oficialmente aberto no dia 18, às 14 horas, no Auditório Caio Amaral Gruber, no Centro de Eventos do Sistema FIEP. No dia 19 de agosto, na Sede Centro do Câmpus Curitiba, serão oferecidos cursos com duração de oito horas para professores e estudantes da área – confira aqui a programação completa. Também serão realizadas exposições, oficinas e divulgação de trabalhos e pesquisas sobre a matemática e o ensino de matemática. Clique aqui para fazer a inscrição.

Já no Câmpus Cornélio Procópio, a cerimônia de abertura será realizada no dia 29, às 19h, no Anfiteatro da Tecnológica. Também estão programadas, para o período de 21 a 31 de agosto, oficinas para alunos das redes pública e privada de ensino e exposição de trabalhos acadêmicos.

Sobre o Biênio

Biênio da Matemática no Brasil (2017-2018) foi criado como forma de potencializar dois eventos internacionais da área que serão realizados no Brasil: a Olimpíada Internacional da Matemática (IMO 2017) e o Congresso Internacional de Matemáticos (ICM 2018). A agenda positiva se destina a um público amplo, desde estudantes, professores, pesquisadores e renomados cientistas até o público em geral. O objetivo é envolver toda a sociedade em experiências enriquecedoras no mundo da Matemática.

Desafio de Inovação SBIAgro 2017

Estão prorrogadas até 14 de agosto as inscrições para o Desafio de Inovação SBIAgro 2017. O evento é promovido pelo XI Congresso Brasileiro de Agroinformática (SBIAgro) e tem como objetivo identificar ideias inovadoras e incentivar o desenvolvimento de soluções tecnológicas que contribuam para resolver problemas reais enfrentados pela agricultura brasileira.

sbiagro

Estudantes, pesquisadores ou profissionais podem participar de forma individual ou em equipes com até cinco integrantes. Para isso, é preciso se inscrever no congresso e enviar um protótipo funcional em aplicativo móvel, acompanhado de artigo de uma página que descreva a solução, além de um vídeo de até dois minutos.

Os candidatos podem concorrer nas categorias: júnior, para matriculados no ensino médio; superior, para estudantes de graduação e pós-graduação; ou profissional, para os ligados a empresas de tecnologia ou profissionais liberais. Na categoria profissional, também podem participar equipes mistas formadas por estudantes, professores e profissionais.

As bancas julgadoras serão compostas por especialistas em tecnologia de informação e pesquisadores de ciências agrárias da Embrapa e de instituições parceiras, além de profissionais de mercado e negócios. O Comitê de Avaliação do Desafio vai analisar diversos critérios, como relevância do problema que a solução propõe resolver, qualidade do design e funcionamento do aplicativo de forma correta.

Os três primeiros lugares de cada categoria receberão certificados de participação e os artigos de uma página, correspondentes aos trabalhos selecionados para a etapa final, serão publicados nos anais do SBIAgro 2017. As informações referentes às regras do concurso estão disponíveis no site do congresso e as dúvidas podem ser encaminhadas ao correio eletrônico da comissão organizadora (cnptia.sbiagro2017@embrapa.br).

O Desafio de Inovação SBIAgro 2017 é organizado pela Embrapa Informática Agropecuária (Campinas, SP), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP/Campus Campinas) e TIC em Foco.

(com informações da Embrapa)

Inscrições para o Hotel Tecnológico

Porque é na Universidade que surgem e amadurecem grandes ideias 😉

Três câmpus da UTFPR estão com editais abertos para a seleção de projetos para o Hotel Tecnológico. A ideia é estimular e fomentar a criação de empresas a partir de um ambiente que possibilite a concretização de ideias em negócios, caracterizados pela aplicação tecnológica.

No Câmpus Francisco Beltrão, são ofertadas duas vagas para pré-incubação, cujas propostas se enquadrem em uma das seguintes áreas: Informática, Engenharia Ambiental, Engenharia de Alimentos e Engenharia Química. As inscrições devem ser feitas até 17 de agosto. Os projetos selecionados poderão usufruir da infraestrutura do Hotel Tecnológico por até 12 meses, além de receberem consultorias em empreendedorismo, capital, mercado, tecnologia e gestão. Para conferir todas as regras, é só dá um confere no Edital de Seleção e no Edital de Chamada Pública.

Já no Câmpus Toledo, a chamada pública visa selecionar uma proposta de negócio que trabalhe em uma das seguintes áreas: Engenharia Eletrônica, Engenharia Civil, Engenharia de Computação, Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia, Tecnologia em Sistemas para Internet, Tecnologia em Processos Químicos e Licenciatura em Matemática. As inscrições devem ser feitas até 11 de agosto. A equipe poderá conter no mínimo um e no máximo cinco pessoas, não necessariamente do mesmo curso, sob orientação de um servidor da UTFPR. As demais regras estão disponíveis aqui.

O Câmpus Pato Branco, por sua vez, realiza sua seleção no formato de fluxo contínuo. As vagas são limitadas em até 10 projetos em regime pré-incubação no Hotel Tecnológico e até 10 para empresas incubadas na modalidade residente e não residente na Incubadora de Inovações Tecnológica (IUT). Tanto no Hotel quanto na Incubadora, são disponibilizadas infraestrutura e consultoria. Para saber mais, é só acessar o edital normativo da seleção.

 

 

 

O edital visa selecionar as propostas de estudantes da UTFPR e da comunidade externa, com cunho inovador para a pré-incubação no Hotel Tecnológico e para incubação na Incubadora de Inovações Tecnológica. É a oportunidade perfeita dos empreendedores que possuem uma ideia transformá-la em um negócio.

Segundo o Professor Marcio Gazolla, “no Hotel Tecnológico a ideia é selecionar projetos para pré-incubação que possuam ideias empreendedoras da comunidade acadêmica da UTFPR, por exemplo, um aluno que está desenvolvendo um projeto de pesquisa junto ao seu orientador que gera um produto ou serviço diferenciado ou mesmo um trabalho de conclusão de curso que possua alguma inovação embutida que possa se tornar uma empresa no futuro,” destaca o professor, também Chefe Responsável pelo Departamento de Apoio a Projetos Tecnológicos.

As vagas são limitadas em até dez projetos em regime pré-incubação no HT e até 10 para empresas incubadas na modalidade residente e não residente na Incubadora de Inovações Tecnológica (IUT). Tanto no HT quanto na IUT, é oferecida infraestrutura de uso compartilhado, mas que os empreendedores desenvolvam individualmente e trabalhando em conjunto.

Quem deseja submeter seu projeto deve entregar a documentação física necessária, conforme edital, na Diretoria de Relações Empresariais e Comunitárias do Câmpus! Tire seu projeto do papel e aplique o seu negócio!

Acadêmicos desenvolvem plataforma on-line de atividades pedagógicas

Os alunos de curso de Tecnologia em Sistemas para Internet do Câmpus Guarapuava desenvolveram uma ferramenta que promete facilitar o trabalho dos professores. Chamado de ‘Brincando na Web’, a plataforma é utilizada para elaboração de atividades pedagógicas para as turmas dos primeiros anos do Ensino Fundamental I. A ferramenta permite aos professores compor um conteúdo e criar questões alternativas associadas ao tema.

projeto_guarapuavaO projeto foi criado pelos alunos Erika Leão, Felipe Weiber e Lucas Sartori para uma disciplina com foco em aspectos relacionados à Interação Humano-Computador e à Avaliação de Interface. No desenvolvimento, foram utilizadas as seguintes tecnologias: linguagem de programação PHP, framework Laravel, Sistema Gerenciador de Banco de Dados MySQL, framework CSS Bootstrap, biblioteca de animação Animate, wysiwyg editor NicEdit e a ferramenta para analise de interação do usuário Hotjar.

E tem mais, o projeto está sendo implantado na Rede Municipal de Ensino de Guarapuava por meio do Programa Nacional de Tecnologia Educacional (ProInfo). O objetivo é promover o uso pedagógico da informática na educação básica, assim como incentivar o uso da tecnologia como ferramenta de enriquecimento pedagógico.

Sensacional, heim?

Acadêmicos da UTFPR conquistam o recorde brasileiro de minifoguetes

Aqui é recorde brasileiro!

O grupo de Foguetes do Câmpus Francisco Beltrão conquistou o recorde brasileiro de precisão de apogeu na categoria 500 metros. Foram exatamente 506 metros de altitude alcançados pelo minifoguete projetado e produzido pela galera. O recorde já foi reconhecido pela Associação Brasileira de Minifoguetes.

Batizado de Durango 2, o minifoguete foi lançado no dia 18 de abril, em um dos testes preparatórios do grupo Tsiolkovski, para o 4º Festival Brasileiro de Minifoguetes e alcançou a altitude pretendida com um erro de apenas 1,2%. A estrutura principal do foguete é um cano PVC, com as aletas e a ogiva feitas de fibra de vidro. A parte interna foi adaptada para segurar o motor, sendo este feito de inox.

Equipe GFT, nova detentora do recorde brasileiro de minifoguetes (Foto: Divulgação)

Equipe GFT, nova detentora do recorde brasileiro de minifoguetes (Foto: Divulgação)

O grupo Tsiolkovski, é formado por estudantes e professores do curso de Engenharia Química de Francisco Beltrão e de Engenharia Mecânica de Pato Branco, e entre eles, Andreia Dagostini, que conta que é necessário jogo de cintura para fazer tudo funcionar corretamente. “Muita teoria é estudada e um planejamento é feito. Entretanto, quando colocado em prática, várias coisas não funcionam como na teoria, tudo isso exige que pensemos como engenheiros para resolver os problemas com rapidez e eficiência. Um problema encontrado no desenvolvimento do protótipo foi pensar na estabilidade do foguete para que saísse da rampa de lançamento com a velocidade adequada e que o vento não conseguisse mudar sua trajetória”, comenta a aluna.

Dagostini conta ainda que o foco do grupo não era atingir o recorde, e sim realizar os testes para o evento. “Seria nosso único teste para essa categoria do festival. Sabemos que os simuladores não são tão precisos, então ficamos impressionados com a altitude atingida e só depois pensamos no recorde. Enviamos nossos dados e o recorde foi reconhecido. Certamente foi muito gratificante para todos os membros da equipe”, conclui a estudante.

Para conferir os vídeos e updates da equipe, basta seguir a fanpage GFT 😉