Avaliação do Docente pelo Discente

É hora de dar aquele feedback aos professores desse semestre e assim melhorar a qualidade do ensino na Tecnológica! O período do processo de avaliação do docente pelo discente já está aberto e segue até a terceira semana de junho, dependendo do câmpus.

Para efetuar a avaliação, é preciso acessar o portal do aluno do seu Câmpus e clicar no ícone ‘Avaliação do Professor’. Uma página explicando como funciona a avaliação aparecerá e, em seguida, uma uma nova tela apresentará as matérias cursadas pelo estudante no semestre. Ao escolher a disciplina para avaliação, é possível atribuir estrelas, em escala crescente de 1 a 5, indicando a qualidade do professor em cada quesito.

E você sabe por que é tão importante realizar a avaliação? É por meio dela que os professores irão saber onde e como podem melhorar seus métodos de aula, já que são analisados a didática, o planejamento, as avaliações e o relacionamento com o professor, além de espaço específico para deixar comentários anonimamente ao docente.

Câmpus Francisco Beltrão se prepara para mais uma operação do Projeto Rondon

E mais uma vez os alunos da Tecnológica irão marcar presença no Projeto Rondon.

Os oito alunos do Câmpus Francisco Beltrão selecionados para a Operação Serra do Cachimbo já estão programando as oficinas que serão ofertadas aos moradores de Guarantã do Norte, no Mato Grosso. Os trabalhos serão desenvolvidos nos grupos de Comunicação, Meio Ambiente, Tecnologia e Produção e Trabalho. A equipe iniciará os trabalhos no dia 14 de julho. O objetivo é contribuir com soluções sustentáveis para a inclusão social e a redução das desigualdades regionais.

Integrantes da equipe do Câmpus Francisco Beltrão (Foto: Divulgação)

Integrantes da equipe do Câmpus Francisco Beltrão (Foto: Divulgação)

No mês de abril, a professora que coordena os trabalhos no Câmpus, Maici Leite, participou da viagem precursora na qual conheceu as necessidade e particularidades da região para a consequente adequação das oficinas. “Teremos um grande desafio já que o município tem um diferencial em extensão [territorial]. Há assentamentos que ficam há 45 quilômetros e a nossa equipe estará sempre se deslocando. Ao mesmo tempo, percebi que a cidade é afetiva e receptiva. A visita também auxiliou a pensar mecanismos para interagir com os moradores”, comenta a professora.

Alana Caroline Franceiskievicz, estudante de Engenharia Química e uma das integrantes da equipe, conta que viu no Rondon uma oportunidade de fazer a diferença na comunidade. “As oficinas são uma forma de melhorar a realidade das pessoas e, para mim, é uma oportunidade pessoal de exercitar a cidadania”, ressalta.

“Acho o Rondon maravilhoso. Duas colegas já participaram e os relatos delas me motivaram ainda mais. Assim que passei da metade do curso [requisito para se inscrever participei do processo de seleção. Estou animada”, conta Aloma Hancke, aluna de Engenharia Ambiental. Os estudantes integrantes da equipe foram selecionados por meio de um edital próprio.

Oficinas que serão ofertadas

COMUNICAÇÃO

– Internet e pesquisa avançada com foco nas políticas sociais do governo;
– Ferramentas OpenOffice (ou MS Office) para preparação de documentos e materiais informativos (folders, jornais, declarações etc.);
– Mídia Digital e Social (gerenciamento);
– Comunicação Comunitária;
– Assessoria de Imprensa e Comunicação Interna;
– Rádio Comunitária;
– Jornal Comunitário.

MEIO AMBIENTE

– Saneamento Básico e Fossa Séptica Biogestora;
– Captação da água e uso consciente;
– Reciclar, Reaproveitar, Reutilizar;
– Produtos de limpeza ecológicos;
– Filtro clorador de baixo custo;
– Compostagem para donas de casas e pequenos;
– Manejo Integrado de Culturas e Pragas em Olericultura Orgânica Produção de um biofertilizante.

TRABALHO

– Associativismo, cooperativismo e empreendedorismo;
– Atualização em Linux para servidores municipais;
– Ferramentas para Gerenciamento de Projetos;
– Gestão pública e de Projetos para Servidores Municipais;
– Turismo e Esportes;
– Desenvolvimento do Turismo Local;
– Educação Financeira Familiar.

TECNOLOGIA E PRODUÇÃO

– Refeição principal: reaproveitamento de alimentos;
– Sobremesa: reaproveitamento de alimentos;
– Horta orgânica (vertical);
– Higienização e conservação de alimentos.

Sobre o Projeto

O Rondon é uma ação interministerial do Governo Federal realizada em coordenação com os Governos Estadual e Municipal que, em parceria com as Instituições de Ensino Superior, reconhecidas pelo Ministério da Educação, visa a somar esforços com as lideranças comunitárias e com a população, a fim de contribuir com o desenvolvimento local sustentável e na construção e promoção da cidadania.

Aluna desenvolve tratamento alternativo para resíduos da indústria têxtil

Um dos desafios do setor industrial é produzir poluindo menos. E, sim, muitas das respostas estão nos bancos e laboratórios das universidades.

É o caso do projeto desenvolvido por uma estudante de Engenharia Química do Câmpus Francisco Beltrão, a Michelli Fontana. Em sua pesquisa de iniciação científica, a aluna criou um método de tratamento fotocatalítico dos efluentes da indústria de tingimentos têxtil.

Protótipo do reator utilizado para o tratamento dos efluentes (Foto: Divulgação)

Protótipo do reator utilizado para o tratamento dos efluentes (Foto: Divulgação)

O estudo foi pensado como uma alternativa eficiente para a otimização dos processos de tratamentos industriais, a fim de reduzir riscos de intoxicação de meios aquáticos. O projeto teve início em 2015 sob orientação da professora Elisângela Düsman.

Os processos comumente utilizados pela indústria no tratamento de efluentes utilizam incineração e métodos biológicos a fim de reduzir a contaminação provocada. Essas técnicas, no entanto, mostram eficiência abaixo do esperado e permitido pela legislação, além do alto custo no caso da incineração. Segundo Michelli, o tratamento fotocatalítico se mostrou eficaz em relação à ausência de toxicidade das concentrações nas amostras e na regulação do pH da água.

Os benefícios desse método alternativo vão além do seu baixo custo de aplicação. “O tratamento apropriado de efluentes têxteis reflete na redução de riscos de intoxicação de meios aquáticos e de fontes de água, além de evitar riscos à saúde pública”, completa a aluna.

A pesquisa foi apresentada no Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica (Sicite) 2016 e escolhida o melhor trabalho da categoria apresentações orais da área de Engenharias.

Reopção de curso 2017.1

Oportunidade para a galera que tá pensando em mudar de curso!

O Departamento de Processos Seletivos da UTFPR publicou na sexta-feira (10) o edital  para o Processo Seletivo de Reopção de Cursos de Graduação para o 2° semestre letivo de 2017. As inscrições têm início nesta segunda-feira (13) e seguem até o próximo dia 19. O total de vagas e o período mínimo de cada curso estão disponíveis no Anexo I do edital.

Quem pode participar?

A seleção é destinada exclusivamente aos alunos regularmente matriculados ou com matrícula trancada no mínimo no 2º período em um dos cursos de graduação da UTFPR e que desejam fazer a mudança de curso dentro do próprio câmpus.

Como se inscrever?

Para concorrer, é preciso preencher a Ficha de Inscrição pela internet e entregar a documentação exigida no edital ao Departamento de Registros Acadêmicos (Derac) do respectivo câmpus.

Classificação e resultados

A classificação se dará por ordem decrescente de Coeficiente de Rendimento obtido no curso de origem, sendo respeitado o período mínimo exigido para ingresso no curso desejado. O resultado da 1ª chamada será publicado no próximo dia 29 e os selecionados devem entregar a Declaração de Aceite de Mudança de Curso no dia 31.

Inscrições abertas para o complemento da Lista de Espera do Sisu 2017.1

Mais uma oportunidade para a galera que está a fim de estudar na UTF!

Até dia 2 de março, estão abertas as inscrições para o Processo de Complementação da Lista de Espera do Sisu 2017/1. O objetivo é cadastrar candidatos para complementar a lista de convocadas das chamadas nominais para alguns cursos nos Câmpus de Apucarana, Campo Mourão, Dois Vizinhos, Francisco Beltrão, Guarapuava, Londrina, Medianeira, Pato Branco, Santa Helena e Toledo.

Clique aqui para conferir a íntegra do edital.

As inscrições devem ser realizadas pela página ‘Futuros Alunos’, no site da UTFPR. Lá, o candidato optará por um dos cursos, câmpus, e qual categoria de cotas deseja concorrer.

Detalhe importante: esta seleção não se restringe para os candidatos que realizaram o Enem 2016. Também podem concorrer aqueles que fizeram o Exame nas edições de 2015, 2014, 2013 ou 2012. E mais, para quem não se encaixar em nenhuma dessas possibilidades, é possível se candidatar com o rendimento escolar do Ensino Médio, mesmo sem as notas do Enem.

Nesse último caso, além da inscrição pela internet, o candidato deverá enviar uma cópia legível de seu Histórico Escolar do Ensino médio na extensão pdf, para o e-mail bancodeespera@utfpr.edu.br, com o título Complementação da Lista de Espera do SISU 2017/1, seguindo as instruções complementares do edital.

A relação dos convocados para a Chamada Nominal será divulgada na página Futuros Alunos e a convocação para as chamadas seguirão o cronograma estabelecido no edital Sisu-UTFPR.