Trabalho de aluno de graduação é premiado em workshop nacional

Mais uma conquista dos nossos alunos 😉

O trabalho de iniciação científica do aluno do Bacharelado em Ciência da Computação do Cãmpus Campo Mourão, Luiz Felipe Fronchetti Dias, recebeu o prêmio de MELHOR ARTIGO do V Workshop de Visualização, Evolução e Manutenção de Software (VEM 2017), realizado no último dia 20 de setembro, em Fortaleza, junto ao VIII Congresso Brasileiro de Software (CBSoft).

Intitulado Who Drives Company-Owned OSS Projects: Employees or Volunteers?, o artigo foi orientado pelo professor Igor Steinmacher, em parceria com pesquisador Gustavo Pinto e seu orientando Jhoylan Santos, ambos da Universidade Federal do Pará. O artigo é parte do projeto de pesquisa do professor Steinmacher, recentemente aprovado no Edital Universal CNPq.

O artigo apresenta um estudo sobre a participação de desenvolvedores pagos e voluntários em projetos de software livre que são gerenciados/mantidos por empresas. Foram analisados dois projetos que pertencem ao GitHub (atom e hubot), que são projetos ativos, e receptivos a contribuições externas. Os achados mostraram que desenvolvedores que trabalham no GitHub são responsáveis por 45,54% dos pull-requests do projeto, enquanto contribuidores externos submeteram 54,46%. Também observou-se que desenvolvedores externos submetem variadas contribuições, desde documentação até código mais complexo.

Outro trabalho do professor Igor Steinmacher, em parceria com o professor Igor Wiese e Anderson Bergamini (aluno de mestrado da UEM), foi premiado com o 3° lugar neste mesmo evento.

O CBSoft, que é o principal evento científico da área de software do Brasil, contou com a participação de outros alunos do Câmpus Campo Mourão, incluindo a apresentação de 2 artigos na trilha principal do evento . Um deles apresentado pela também aluna de graduação Mairieli Wessel, sob orientação do professor Igor Wiese.

Segundo o professor Steinmacher, a premiação mostra a inserção da UTFPR entre as grandes universidades em termos de pesquisa de ponta no Brasil. “Vale ressaltar que publicações em eventos na área de Ciência da Computação são de mesma importância que publicações em periódicos (journals) e tem grande impacto, tendo inclusive avaliação de acordo com o Qualis”, comenta.

 

Seleção para o Programa Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e Informática Industrial

Estão abertas, até 10 de novembro, as inscrições para a seleção da turma 2018 do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e Informática Industrial (Câmpus Curitiba). Ao todo, são oferecidas 70 vagas para as seguintes áreas de concentração: Engenharia Biomédica, Engenharia de Automação e Sistemas, Engenharia de Computação, Telecomunicações e Redes e Fotônica em Engenharia.

Para concorrer a uma das vagas, o interessado deve preencher o formulário on-line de inscrição, digitalizar e enviar a documentação comprovatória também pela página de inscrições. A classificação dos candidatos nessa primeira fase será feita com base na pontuação estabelecida pelo próprio edital normativo.

Logo na sequência, o candidato será submetido à Defesa de Proposta de Pesquisa (DPP). Nessa fase, uma banca constituída por até três professores irá avaliar as potencialidades do projeto, as pretensões e disponibilidades do candidato. As defesas serão agendas para o período de 4 a 8 de dezembro.

A divulgação dos candidatos selecionados ocorrerá até 15 de dezembro.

Doutorado

O ingresso de candidatos no curso de doutorado é realizado em regime contínuo; ou seja, não há data específica para inscrição. A matrícula é realizada após o cumprimento dos procedimentos para ingresso e sempre no início de uma das três fases, conforme calendário previsto no site do programa. Para o doutorado, são disponibilizadas até 60 vagas anuais.

Resumo

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e Informática Industrial
Nível: mestrado acadêmico e doutorado;
Conceito Capes: 5;
Inscrições: até 10 de novembro.

Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica 2017

Sim, muita gente quer ver o resultado da sua pesquisa!

Então, olha só esta oportunidade 😉

O Câmpus Londrina sediará, em 2017, o XXII Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica (Sicite) da UTFPR, que será realizado entre 18 e 20 de outubro. Promovido anualmente pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPPG), pelas diretorias de Pesquisa e Pós-Graduação e pelo Comitê Interno Pibic/Pibiti, o evento é direcionado à divulgação dos resultados dos trabalhos de iniciação científica e tecnológica desenvolvidos por alunos bolsistas e voluntários no âmbito dos programas apoiados por agências de fomento. Para participar, os alunos deverão se inscrever e submeter seus trabalhos entre os dias 11 e 28 de agosto.

sicite

Para divulgarem seus trabalhos de iniciação científica e tecnológica, os alunos da UTFPR participantes dos programas institucionais de Iniciação Científica (Pibic), de Iniciação Científicas nas Ações Afirmativas (Pibic-AF), de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Pibiti), de Iniciação Científica para o Ensino Médio (Pibic-Jr e Pibic-EM) e de Voluntariado em Iniciação Científica e Tecnológica (PVICT) poderão se inscrever nas modalidades apresentação oral ou pôsteres. Durante o evento, os trabalhos apresentados são avaliados por uma comunidade acadêmico e os resultados são divulgados para a sociedade em geral.

Além das apresentações de trabalhos, a programação do Sicite contará com palestras.

Mais informações estão disponíveis na página do Sicite.

Aplicação de método de análise auxilia no diagnóstico de pacientes do SUS

Usar o que aprendemos na Universidade para contribuir com a sociedade é o que buscamos enquanto universitários.

Pensando nisso, o estudante de Engenharia da Computação Victor Camargo (foto abaixo), desenvolveu um método que analisa os dados de internações hospitalares do Sistema Único de Saúde (SUS) para ajudar em diagnósticos médicos. O objetivo é criar um banco de dados que correlacione sintomas e agilize o processo de atendimento dos pacientes.

15002270_1094369104015919_8484114149927213185_oDe acordo com Victor, com a mineração desses dados, é possível identificar semelhanças entre as doenças e, assim, sugerir possibilidades de diagnósticos sobre novos casos, colaborando com a eficiência do trabalho de médicos do sistema público. O trabalho é desenvolvido sob orientação do professor Pedro Henrique Bugatti

Essa aplicação possibilita também o cruzamento de outras informações, além dos sintomas apresentados pelo paciente, como lugar de residência, por exemplo, que pode indicar fatores externos relevantes no caso. “Está sendo possível identificar informações de fora que se relacionam com os diagnósticos, por exemplo, quais regiões de determinados estados mais possuem problemas sanitários, e em quais regiões certas doenças são mais predominantes”, completa Victor.

Segundo testes realizados, os resultados obtidos chegaram em torno de 70% de eficiência e acerto no diagnóstico. Por se tratar de uma pesquisa com colaboração significativa na área da saúde, há a intenção por parte dos pesquisadores de comercializar o projeto.

A pesquisa foi apresentada no Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica (Sicite) 2016 e escolhida como um dos melhores trabalho da categoria painéis da área de Ciências Exatas e da Terra.

Semana UTForce promove palestras e minicursos na área de mobilidade elétrica

Evento para a galera apaixonada por automobilismo!

O Câmpus Ponta Grossa sedia, entre os dias 22 e 26 de maio, a Semana UTForce 2017, evento que tem como pauta de debates e oficinas a ‘Mobilidade Elétrica e Geração Distribuída’. O objetivo é trazer para o ambiente acadêmico a discussão desta que já está sendo considerada a maior revolução na indústria automobilística desde o século XX.

utforce

A Semana promoverá palestras e minicursos das áreas relacionadas, além de disponibilizar certificado que pode ser utilizado como hora complementar.

A UTForce e-Racing é um projeto de extensão fundado em setembro de 2015 por acadêmicos do curso de Engenharia Eletrônica. Atualmente o projeto UTForce F-SAE e-Racing é composto por mais de 40 estudantes da UTFPR e integra alunos de Engenharia Eletrônica, Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Tecnologia em Automação Industrial.

A equipe também está inscrita na competição Fórmula F-SAE, uma competição que propicia aos estudantes de engenharia a oportunidade de aplicar na prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula, desenvolvendo um projeto completo.

Para mais informações, acesse a página da equipe.