Alimento: do prazer à angústia

00647_colunapersonaconsumo_3861542987845778788Se voltarmos a época do homem pré-histórico, perceberemos o quão comum era viver em períodos de escassez alimentar. Toda forma de comida animal ou vegetal era fonte imprescindível para cobrir as demandas energético-proteicas do indivíduo. Além disso, a necessidade de acumular energia corporal para sobreviver por longos períodos de inverno ou seca rigorosos era fundamental.

Após esse período, a humanidade ainda passou por muitos conflitos regionais e mundiais e que condenaram populações inteiras à fome severa. Isso fez com que as pessoas fizessem estoques de energia no organismo pelo medo da fome.

Por milhares de anos a obesidade foi associada a uma doença que afetava apenas os mais ricos. Alimentos – especialmente os mais saborosos e ricos em calorias – eram simplesmente caros demais para que o cidadão comum pudesse obtê-los. Poucos podiam se dar ao luxo de serem gordos e demonstrar sua prosperidade.
Em pleno século XXI, vivemos o oposto. Com a oferta facilitada a uma imensa variedade de alimentos e num período em que muito se esclarece sobre a importância em ter uma alimentação consciente e saudável, aumentam os índices de obesidade e anorexia associados à forma como as pessoas lidam com o alimento quando o entendem como objeto supridor de carências ou de culpa por não se ter um corpo idealizado.

Alimentos estão mais baratos e mais disponíveis. Os mais calóricos podem ser encontrados nos mais variados locais. Hoje, sabemos que obesidade e anorexia matam e a melhor estratégia para o combatê-las é a informação.

Vemos o homem contemporâneo tentando “lutar” com um leão por dia ou “fugir” dele armado de consciência, informações e tecnologias em seu benefício, mas, em vão, já que seu maior combustível, a energia obtida pelo alimento, padece pela sua falta ou excesso.

As pessoas parecem estar tomadas pelo gene do Homem primitivo que, sem escolhas, transitava pelos extremos alimentares.

Conhecendo a Resoluto Controle Tecnológico #HotelTecnológicoUTFPR

encubadoraHoje o blog do aluno vai até o Câmpus Guarapuava para conhecer o trabalho da RCT, a Resoluto Controle Tecnológico, empresa encubada no recém inaugurado Hotel Tecnológico (HT) do Câmpus.

Mas, antes de tudo, você sabe para que servem os hotéis tecnológicos espalhados em nossos câmpus?  Pois bem, a função dos HT’s é apoiar o desenvolvimento de “pré-empresas”. Basicamente, eles prestam auxílio e fornecem todo o apoio e estrutura a ideias inovadoras que estão por sair do papel, incentivando a postura empreendedora nos alunos, egressos, servidores da universidade e toda a comunidade.

Com a Resoluto não foi diferente. Três alunos do curso de Engenharia Civíl, João Girardi, Ary Vinícius Frigeri e Márcio da Costa Filho, observaram que o serviço de controle tecnológico de materiais de construção civil em Guarapuava era escasso e necessitava de uma empresa capacitada para fornecer serviços de ensaios laboratoriais na região. A ideia ficou entre os três alunos, como um plano a ser executado depois que todos já estivessem formados. Porém, com a inauguração do Hotel Tecnológico no Câmpus Guarapuava, a ideia começou a se tornar realidade.

Dentre as vantagens de incubar uma empresa no Hotel Tecnológico, a principal é a formulação de um plano de negócios estruturado e construído através de diversos cursos, workshops, coachings e capacitações que os empreendedores recebem durante sua “hospedagem”. Além disso, os empreendedores recebem apoio e assessoria nas áreas de marketing, finanças, direito e psicologia e ganham o direito de usufruir do espaço físico para trabalhar (como uma espécie de escritório compartilhado, ou Coworkings), criando um ambiente inspirador e propenso a inovações.

João Girardi, um dos fundadores da Resoluto, conta que o Hotel Tecnológico é um grande aliado da inovação: “O Hotel contribuiu para nos abrir a visão de sermos empreendedores. Eu recomendo o hotel para todas as pessoas que tem ideias inovadoras e que, por algum motivo, não conseguem tirá-las do papel, pois o HT dá suporte a projetos inovadores como a Resoluto”.

Os editais de seleção de empresas que desejam incubar-se nos hotéis tecnológicos abrem todos os semestres. Confira no HT de seu Câmpus as recomendações, aguarde as próximas datas e coloque seu projeto em prática também!

Confira o vídeo contando um pouco da RCT:  https://www.youtube.com/watch?v=w8c29WcsUeo

Alunos de Campo Mourão garantem casa do Papai Noel na cidade

casa do papai noelEm parceria com a Prefeitura Municipal de Campo Mourão, o Centro Acadêmico de Engenharia Civil do Câmpus Campo Mourão da UTFPR viabilizou o chalé do papai noel da cidade. O projeto foi feito pelos alunos do curso, saiu do papel e foi construído em uma praça no centro da cidade. A inauguração foi realizada no último dia 02 de dezembro.

A ideia principal do projeto foi construir um chalé de madeira sustentável, ou seja, a Casa do Papai Noel poderá ser desmontada e reutilizada através dos anos nos natais de Campo Mourão, além de também aproveitar materiais já existentes e doados à Prefeitura.

Os alunos de engenharia civil Rafael Hideki, Rodrigo Gonçalves e Luís Vidotti, orientados pela professora Vera Lúcia Moreira e pelo professor Jorge Luís de Góes,  aceitaram o desafio e passaram por grandes aprendizados através da oportunidade de colocar o projeto em prática, desde o dimensionamento correto para desenvolver o chalé, cálculos e simulações, até o tratamento da madeira para ser sustentável. A cobertura da casa, por exemplo, será de fibrocimento para proteger a madeira.  A casa foi dividida em cozinha, quarto e sala do Papai Noel, decorada com poltrona, lareira e a árvore de Natal.

 

O estudante Rafael Hideki afirma que o grande aprendizado foi aliar a teoria aprendida em sala de aula com a prática que, tanto acadêmica quanto profissionalmente, é cheia de desafios. “O chalé, aliado a todos os outros enfeites natalinos, promove à comunidade um local para iteração familiar e cria um ambiente onde as crianças possam se divertir e soltar a imaginação”.

A execução do projeto ficou por conta da Prefeitura da cidade. Os alunos e professores envolvidos ressaltam que inciativas como essa servem para promover a instituição formando os futuros profissionais.

 

Coluna Persona – O seu lugar no mundo!

00646_colunapersonalugarmundo_998329984788916681

O nosso dia a dia é tão corrido com a série de atividades e distrações com as quais nos envolvemos que muitas vezes nem sentimos o tempo passar. Ficamos conectados às redes sociais, preocupados em acompanhar os amigos virtuais, além das obrigações em cumprir com nossas atividades, provas e trabalhos. Quando percebemos, o dia acaba, a semana termina, o mês chega ao fim. Depois encerra-se o semestre, termina o primeiro período, o segundo, o terceiro, … e, ao nos darmos conta, estamos nos formando.

Alguns conseguem emprego logo de cara, outros demoram um pouco mais. Porém, quando a vida profissional se inicia, percebemos que, talvez, ela não seja tão perfeita como imaginávamos. O tempo vai passando. Alguns acontecimentos vão surgindo, podendo ocasionar tristezas, doenças, depressão ou ainda uma outra situação que te faça perguntar: o que estou fazendo da minha vida? Será que estou no lugar certo?

Esses questionamentos são comuns, mas, quando se está mergulhado em um trabalho que não te satisfaz, isso torna-se um problema. Muitos universitários se sentem perdidos ou não sabem se estão no caminho correto. Sentem angústia, ansiedade, medo.

A dica que a coluna Persona deixa é: conheça o seu perfil comportamental. Platão já dizia: “a maior vitória do ser humano é a conquista de si mesmo”.

Questione onde suas ideias se encaixam, que tipo de empresa está alinhada com seus valores internos, trace seu perfil comportamental, valores e teste de reconhecimentos de seus pontos fortes e passíveis de melhoria.

Assim, você se sentirá seguro no caminho que está escolhendo e, quando finalizar seu curso aqui da UTFPR, estará satisfeito por saber qual é seu lugar no mundo.

Para mais informações, sugerimos a leitura do livro: Seja a pessoa certa no lugar certo – http://www.editoragente.com.br/livro/249/seja-a-pessoa-certa-no-lugar-certo?download=true

Adotar uma causa é conhecimento!

adote uma causa

Quatro alunos e uma egressa dos cursos de Comunicação Organizacional e Comunicação Institucional do Câmpus Curitiba da UTFPR participaram da segunda edição do projeto de extensão “Adote uma Causa”, criado pelo Instituto do Grupo Paranaense de Comunicação (GRPCom).

Os estudantes Amanda Cristine Sousa, Tiago Correia, Bianca Rudnik, Débora Bortolotti e Amanda Terplak participaram, durante o segundo semestre de 2017, de diversos cursos nos estúdios do Grupo, passando pelas áreas de jornalismo, rádio, TV, criação publicitária e planejamento de campanhas.

O projeto é uma iniciativa do Instituto em parceria com instituições de ensino, além dos demais canais do Grupo, como a RPC, Gazeta do Povo, Tribuna do Paraná e as rádios 98FM e Mundo Livre FM. Ao todo, 45 estudantes participaram desta edição.

O Adote uma Causa resultou em dez campanhas comunicacionais direcionadas à causas do terceiro setor, como saúde, educação, promoção de esportes, geração de emprego e renda, meio ambiente, adoção de animais entre outras causas que serão utilizadas em benefício de OSCs (antigas ONGs) de todo o Paraná.

Para a estudante do quarto período do curso de ComOrg, Bianca Júlia Rudnik, o projeto agrega muito na vida profissional que o estudante está desenvolvendo, principalmente pela convivência com profissionais já estabelecidos no mercado. “É um networking muito grande não só por adquirir conhecimento com eles, mas também pela convivência com estudantes de outros cursos de comunicação. Através do projeto conheci as diversas áreas que o profissional de Comunicação Organizacional pode atuar”, afirma.

Segundo a responsável pelo projeto no Instituto GRPCom, Mathisa Stachuk,  o Adote Uma Causa busca uma experiência completa para os acadêmicos, pois oferece módulos teóricos, visitas e atividades práticas. “A edição 2017 foi um grande sucesso. Percebemos o interesse e o engajamento de todos os participantes. Foram semanas intensas de aulas que renderam muita diversão, amizades e o principal: conhecimento!”.

A próxima edição do projeto acontecerá em 2018 e no site do instituto (http://institutogrpcom.org.br) existem diversas informações sobre cursos online e projetos para quem tem interesse em se voluntariar em alguma organização, ou pra quem já é voluntário. Não fique fora dessa, adote você também uma causa! 😉