Aplicação de método de análise auxilia no diagnóstico de pacientes do SUS

Usar o que aprendemos na Universidade para contribuir com a sociedade é o que buscamos enquanto universitários.

Pensando nisso, o estudante de Engenharia da Computação Victor Camargo (foto abaixo), desenvolveu um método que analisa os dados de internações hospitalares do Sistema Único de Saúde (SUS) para ajudar em diagnósticos médicos. O objetivo é criar um banco de dados que correlacione sintomas e agilize o processo de atendimento dos pacientes.

15002270_1094369104015919_8484114149927213185_oDe acordo com Victor, com a mineração desses dados, é possível identificar semelhanças entre as doenças e, assim, sugerir possibilidades de diagnósticos sobre novos casos, colaborando com a eficiência do trabalho de médicos do sistema público. O trabalho é desenvolvido sob orientação do professor Pedro Henrique Bugatti

Essa aplicação possibilita também o cruzamento de outras informações, além dos sintomas apresentados pelo paciente, como lugar de residência, por exemplo, que pode indicar fatores externos relevantes no caso. “Está sendo possível identificar informações de fora que se relacionam com os diagnósticos, por exemplo, quais regiões de determinados estados mais possuem problemas sanitários, e em quais regiões certas doenças são mais predominantes”, completa Victor.

Segundo testes realizados, os resultados obtidos chegaram em torno de 70% de eficiência e acerto no diagnóstico. Por se tratar de uma pesquisa com colaboração significativa na área da saúde, há a intenção por parte dos pesquisadores de comercializar o projeto.

A pesquisa foi apresentada no Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica (Sicite) 2016 e escolhida como um dos melhores trabalho da categoria painéis da área de Ciências Exatas e da Terra.

Enem 2017 recebe inscrições até esta sexta-feira, dia 19

Enem

Quer ser calouro da Tecnológica em 2018?

Então, corre para fazer a inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio! O prazo se encerra ás 23h59 desta sexta feira, dia 19.

A nota do Enem é utilizada com critério de seleção para os cursos de graduação da Tecnológica, via Sistema de Seleção Unificada (Sisu). São mais de 8 mil vagas anuais em mais de 100 cursos de graduação nos 13 câmpus da Universidade.

Além do Sisu, a nota do Exame pode ser utilizada em outros programas federais, como ProUni, Pronatec, Sisu e Fies. Ou seja, quem pretende utilizar um desses programas, não pode deixar de realizar a inscrição!

Diferente dos outros anos, esta edição terá as datas das provas em finais de semana distintos, em dois domingos de novembro: dias 5 e 12.

Informações importantes:

  • Edital do Enem 2017
  • Inscrições: até às 23h59 de 19 de maio, na página do Inep;
  • Taxa de inscrição: R$ 82, confira aqui as possibilidades de isenção;
  • Prazo para pagamento da taxa: até 24 de maio;
  • Provas: dias 5 e 12 de novembro;
  • Estrutura das provas: questões objetivas de ciências humanas, ciências da natureza, matemática, linguagens e redação de um texto dissertativo-argumentativo.

 

Semana UTForce promove palestras e minicursos na área de mobilidade elétrica

Evento para a galera apaixonada por automobilismo!

O Câmpus Ponta Grossa sedia, entre os dias 22 e 26 de maio, a Semana UTForce 2017, evento que tem como pauta de debates e oficinas a ‘Mobilidade Elétrica e Geração Distribuída’. O objetivo é trazer para o ambiente acadêmico a discussão desta que já está sendo considerada a maior revolução na indústria automobilística desde o século XX.

utforce

A Semana promoverá palestras e minicursos das áreas relacionadas, além de disponibilizar certificado que pode ser utilizado como hora complementar.

A UTForce e-Racing é um projeto de extensão fundado em setembro de 2015 por acadêmicos do curso de Engenharia Eletrônica. Atualmente o projeto UTForce F-SAE e-Racing é composto por mais de 40 estudantes da UTFPR e integra alunos de Engenharia Eletrônica, Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Tecnologia em Automação Industrial.

A equipe também está inscrita na competição Fórmula F-SAE, uma competição que propicia aos estudantes de engenharia a oportunidade de aplicar na prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula, desenvolvendo um projeto completo.

Para mais informações, acesse a página da equipe.

Equipe Pato a Jato na Shell Eco-marathon Américas 2017

A galera da Pato a Jato voando cada vez mais alto 😀

A equipe de eficiência energética Pato a Jato, do Câmpus Pato Branco, representou a UTFPR e o Paraná pela terceira vez na maior competição de eficiência energética do mundo. A competição Shell Eco-marathon Americas aconteceu na cidade do automóvel, Detroit (EUA), no período de 27 a 30 de Abril.

E a participação veio com excelentes resultados \o/

1° lugar entre as equipes brasileiras que competiram na categoria protótipos movidos por motores à combustão interna;
2° lugar entre os protótipos movidos a etanol;
19° lugar entre os 86 protótipos inscritos.

Equipe da Pato a Jato na Shell Eco-marathon Américas 2017 (Foto: Divulgação)

Equipe da Pato a Jato na Shell Eco-marathon Américas 2017 (Foto: Divulgação)

O fato é que a galera ralou muito para conquistar esses resultados. O primeiro desafio foi chegar aos EUA. Afinal, levar um carro como volume que se adeque nos limites de uma bagagem despachada na companhia aérea não é nada fácil.

Vencido o primeiro, outros desafios estavam por vir…

“Competir em condições climáticas adversas, considerando chuva e frio, ao mesmo tempo em que se tentava manter o motor na temperatura adequada e se gerenciava o consumo da bateria durante a fila de espera para entrada na pista; além de passar por uma inspeção técnica severa, tendo que carregar ou comprar ferramentas e peças em um país estrangeiro para se adequar às exigências dos inspetores”, completa o professor Bruno Bellini Medeiros, um dos orientadores da equipe.

Na avaliação do aluno Matheus Alberto Bordignon, capitão da equipe, a participação da Pato Jato nesta edição da Shell Eco-marathon Americas evidenciou o amadurecimento dos acadêmicos em relação a 2015, ano de estreia na competição.

“Os membros souberam lidar e contornar situações árduas, algo que só com a dedicação e experiência poderia ser possível de se alcançar. Outro ponto a destacar foi a interação com equipes de diferentes países, quando todos estavam dispostos a ajudar outros times a solucionar problemas, emprestando materiais, discutindo sobre como melhorar os projetos e até mesmo a maneira como cada um trabalha e recebe seus apoios de patrocinadores. É muito gratificante poder representar a instituição UTFPR e o estado do Paraná”, destaca.

Confira mais algumas fotos da Pato a Jato na competição:

pato-a-jato2

Protótipo de Pato Jato nas pitas de Detroit (Foto: Divulgação)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

pato-a-jato5pato-a-jato7

pato-a-jato4

Plano de Desenvolvimento Institucional 2018-2022

Que lance é esse de PDI?

Certamente, você vai ouvir muito essa sigla nos próximos dias. PDI nada mais é que o Plano de Desenvolvimento Institucional da UTFPR. Ou seja, é o principal documento de planejamento da Universidade que identifica a filosofia de gestão, de pessoas, de ensino, pesquisa e extensão para o período 2018-2022.

Intercambio PDI

Os trabalhos de elaboração do PDI tiveram início oficialmente nesta quarta-feira (10) e irá contar com audiências públicas nos 13 câmpus da Instituição.

E é claro que todos podem (e devem) contribuir :)

Além das audiências públicas, que serão realizadas seguindo um cronograma já definido, a Comissão responsável pela condução dos trabalhos também conta com um formulário eletrônico para colher as sugestões.

Para conhecer o cronograma e saber mais informações sobre o PDI, é só clicar aqui 😉