Curso da UTF ganha 1º lugar nos Jogos Universitários de Campo Mourão

Para fechar bem a nossa semana de prêmios, vamos falar sobre esporte! A UTF faturou, no último dia 1º, a primeira e a terceira colocação entre cursos dos Jogos Universitários de Campo Mourão! A cerimônia de premiação foi realizada no auditório da prefeitura, onde foram entregues troféus para o campeão e o vice em cada modalidade e naipe (feminino e masculino).

Esta foi a 13ª edição do evento, realizado pela Fundação de Esportes (Fecam) da cidade. Ao todo, os Jogos foram disputados por 23 cursos, de quatro instituições de ensino superior. O curso de Engenharia Eletrônica da UTF ficou em primeiro lugar geral, com 169 pontos. O pódio foi dividido com o curso de Engenharia Civil, que ficou em terceiro lugar, com 85 pontos.

Confira abaixo as modalidades conquistas pelos cursos da UTF:

Basquetebol Masculino
1º Engenharia Civil (UTFPR)
2º Engenharia Eletrônica (UTFPR)

Basquete 3 x 3 Masculino
1º Engenharia Eletrônica (UTFPR)
2º Gestão Comercial (Unicampo)

Futsal Feminino
1º Engenharia Civil (UTFPR)
2º Educação Física Licenciatura (Integrado)

Natação Masculino
1º Engenharia de Alimentos (UTFPR)
2º Educação Física Bacharel (Integrado)

Tênis de Mesa Masculino
1º Engenharia Eletrônica (UTFPR)
2º Gestão Comercial (Unicampo)

Vôlei de Praia Masculino
1º Engenharia Eletrônica (UTFPR)
2º Educação Física Bacharel (Integrado)

Voleibol Feminino
1º Engenharia Ambiental (UTFPR)
2º Engenharia de Alimentos (UTFPR)

Voleibol Masculino
1º Engenharia Eletrônica (UTFPR)
2º Direito (Integrado)

Para ver o quadro completo de campeões e vices, e conferir mais fotos do evento, você pode acessar a fan page da Fecam. Parabéns, galera! E por hoje é só, pessoal.

Plataforma de comunicação com a prefeitura é criada por alunos da UTF

Sabe aquele poste de luz que não está funcionando? Ou o terreno baldio com foco de dengue? Logo você poderá utilizar uma nova ferramenta para falar diretamente com a prefeitura sobre esses problemas. É a Report City, desenvolvida pelos alunos Douglas Pereira, Jéssika Machado Pereira, Gabriel Yuri e Rafael do Prado Ribeiro, que rendeu ao grupo o 1º lugar no Hackathon R.I.A. Festival.

Os estudantes estão cursando o 9º semestre de Engenharia da Computação no Câmpus Cornélio Procópio e participaram da maratona que desafiou os inscritos a criar, em 48 horas, aplicações, sites, hardwares, projetos ou experiências nas áreas de empreendedorismo, ativismo, educação, aprendizagem, cultura, meio ambiente e voluntariado.

Report City é uma plataforma online colaborativa que auxilia as prefeituras a localizarem problemas em sua cidade. A comunicação funciona dos dois lados: as pessoas podem registrar os problemas e a prefeitura relata quando o inconveniente é solucionado.

O projeto não acabou ao fim da maratona. Os alunos estão finalizando a versão beta do site, que em breve estará disponível, e se mostraram agradecidos ao Hackathon. “É uma excelente oportunidade para mostrar seu potencial, trabalhar em uma ideia que possa se tornar uma startup e com pessoas que possam se tornar sócias”, comenta Rafael do Prado Ribeiro.

A plataforma estará disponível em www.reportcity.com.br. Para ficar por dentro de todas as novidades do projeto, curta a fanpage do Report City.

Aluno UTF recebe prêmio de Jovem Engenheiro

Como falamos anteriormente, esta será a Semana de Prêmios no Blog do Aluno. Hoje, trazemos a conquista de Everton Luiz de Aguiar, mestrando em Engenharia Elétrica na UTFPR, que recebeu o prêmio Jovem Engenheiro do PCIM da América Latina 2014.

Na premiação, concorreram engenheiros com menos de 30 anos que apresentaram pesquisas originais que geram impacto na área tratada pelo trabalho. Com seu artigo Sistema eólico de geração distribuída conectado em redes fracas: análise e implementação, nosso aluno do Câmpus Pato Branco abordou técnicas de controle para garantir índices de qualidade de energia satisfatório nas situações em que a estação de geração é conectada à rede elétrica em pontos distantes das subestações de distribuição, como em comunidades remotas ou linhas rurais.Para obter os resultados do trabalho, nos laboratórios do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica, foi criado um protótipo, que também poderá ser utilizado em outros projetos de mestrado, dando continuidade ao projeto.

Nos dias 14 e 15 de outubro, o comitê da PCIM South America premiará os vencedores em São Paulo. Everton terá a oportunidade de apresentar seu trabalho para uma platéia qualificada e receberá um prêmio de R$ 1.150 das mãos do Presidente do Conselho Consultivo.

Mais do que o dinheiro, o estudante quer contribuir para a melhoria do país. Foi esse o recado que ele deixou aos jovens pesquisadores “Uma boa estratégia para o aluno que acredita que ‘O Brasil só melhora com educação’ é se engajar na pesquisa e ajudar de forma efetiva nessa melhoria“.

Se você conhece uma pesquisa legal como esta, compartilha com a gente pelo blogdoaluno@utfpr.edu.br \o/

Pesquisador da UTF é premiado na França

Nesta semana, o Blog vai falar de prêmios! Até sexta, você conhecerá alunos e professores que recentemente foram destaques em competições. E nada melhor do que começar com uma conquista internacional. Há pouco mais de uma semana, o doutorando César Yutaka Ofuchi foi até a França conquistar o Student Paper Award do 9º International Symposium on Ultrasonic Doppler Method for Fluid Mechanics and Fluid Engineering.

Da esq. p/ dir.: Stéphane Fischer (UBERTONE), Yasushi Takeda (Hokkaido University Sapporo, ETH Zurich), César Ofuchi e Erich Windhab (Institute of Food Science)

O evento ocorreu entre os dias 27 e 29 de agosto na cidade de Estrasburgo. César Ofuchi, que é doutorando do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica e Informática Industrial (CPGEI) do Câmpus Curitiba, apresentou, no dia 28, a pesquisa “Extended Autocorrelation Velocity Estimator Applied to Fluid Engineering” (“Estimador de velocidade por autocorrelação estendida aplicada a mecânica dos fluidos”).O trabalho ainda tem coautoria do doutorando e professor do Câmpus Toledo Fabio Rizental Coutinho (CPGEI) e dos professores Flávio Neves Jr, Lucia Valéria Arruda (CPGEI) e Rigoberto Eleazar Melgarejo Morales (Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica).

Apresentação do aluno César Ofuchi

De acordo com Ofuchi, a pesquisa foi premiada porque pode contribuir nos trabalhos de todos os pesquisadores da área. “Inventamos uma técnica melhorada para estimar a velocidade de fluidos com ultrassom, que possibilita medir velocidades mais altas. Isto contribui para que pesquisas já existentes possam ser melhoradas e amplia as possibilidades de novos estudos”, explica o doutorando.

Na UTFPR, a técnica é utilizada para medir a velocidade do petróleo em um duto. Mas a inovação também pode ser usada, por exemplo, para medir a velocidade de sedimentos que passam por um rio ou a velocidade do esgoto que atravessa determinada rede.

Além de certificado de melhor trabalho apresentado por um estudante no simpósio e 500 euros de premiação, César Ofuchi pode ainda ganhar um like! Não deixe de curtir e comentar o feito de nosso pesquisador. =P

Onde você estuda?

Não é segredo que os universitários são especialistas em estudar em locais inusitados, principalmente quando está chegando aquela prova de Cálculo. Mas o rendimento varia muito de acordo com o seu perfil.

Leonardo e Lívia estudam nos ´queijos´, já que lá podem interagir livremente

Leonardo Guimarães e Lívia Maryah, alunos do curso Técnico em Eletrônica da UTF, possuem perfis muito diferentes de estudo. Em casa, Lívia prefere estudar na cama e deixa alguma música de background. Já Leonardo estuda na escrivaninha, em silêncio absoluto.

Apesar das diferenças, quando estão na universidade, os dois estudam juntos ao ar livre nos ´queijos´ do Câmpus Curitiba. ”Aqui nós podemos estudar conversando sem atrapalhar os que buscam o silêncio da biblioteca”, comenta Lívia.

Amanda Amorim, aluna de Tecnologia em Comunicação Institucional,  estudando no Câmpus

Essa diferença de perfil é explicada por Mauricio Peixoto, líder do Grupo de Aprendizagem e Cognição da UFRJ “Enquanto o silêncio pode ser essencial para uns, para outros ele pode provocar inquietação. Há alunos que rendem mais estudando no modo tradicional, sentados, enquanto outros se concentram melhor até mesmo caminhando”.

Além dos ´queijos´, a arquibancada das quadras e o R.U podem ser alternativas para quem não consegue estudar em silêncio. Fora da universidade, cafeterias e parques podem ser uma boa escolha, já que você pode conhecer melhor a sua cidade e experimentar novas maneira de estudar.

E aí? Está disposto a descobrir o melhor ambiente para seu aprendizado? Então, aproveita o início do 2º semestre e conta pra gente. E, caso você queira mais uma força nos estudos, confira de novo os post sobre dicas sobre anotações e os perfis de aprendizado. ;)