Inscrições abertas para o seletivo de transferência e aproveitamento de curso

Estão abertas até o próximo dia 28 o período de inscrições para o seletivo de Transferência e Aproveitamento de Cursos de Graduação para o segundo semestre letivo de 2017. Podem concorrer às vagas alunos regularmente matriculados em cursos de graduação e também para egressos, sejam da UTFPR ou de outras instituições de ensino superior.

A inscrição deve ser feita pelo preenchimento da Ficha de Inscrição, disponível no Portal da UTFPR na aba ‘Futuros Alunos’. Após o preenchimento, o candidato deve clicar em “enviar”, imprimir e assinar a Ficha de Inscrição para anexar à documentação – disponível no item 1.2 do edital – que deve ser entregue ao Departamento de Registros Acadêmicos (DERAC) do respectivo câmpus.

As 627 vagas disponíveis serão preenchidas a partir da seguinte ordem de prioridade:

  • candidatos matriculados, ou com matrícula trancada, em cursos de mesma denominação ofertados em câmpus distintos da UTFPR;
  • candidatos matriculados, ou com matrícula trancada, em cursos de mesma denominação ofertados nas demais instituições públicas de ensino superior do país;
  • candidatos matriculados, ou com matrícula trancada, em cursos de mesma denominação, ofertados nas demais instituições de ensino superior do país;
  • candidatos matriculados, ou com matrícula trancada, em cursos de áreas afins ofertados nas demais instituições públicas de ensino superior do país;
  • candidatos matriculados, ou com matrícula trancada, em cursos de áreas afins ofertados nas demais instituições de ensino superior do país;
  • candidatos egressos de cursos de graduação ofertados em instituições de ensino superior do país;
  • candidatos matriculados ou com matrícula trancada, em outros cursos do mesmo câmpus da UTFPR.

O resultado da primeira chamada será divulgado no dia 12 de junho, no site da UTF.

Boa sorte 😉

Equipe da UTFPR conquista 3° lugar no Hackathon Sesi 2017

A UTFPR foi um dos destaques da edição 2017 do Hackathon Sesi, com o 3° lugar da competição \o/

A equipe composta pelo servidor Pedro Monteiro e pelo aluno Cleiton, do Câmpus Curitiba, trouxe indicadores de 2016 para criar um software de inteligência que identifica se o trabalhador está com alguma situação ergonômica inadequada, falta de EPI ou próximo a alguma estrutura que indique perigo. A notificação é em tempo real.

hackaton

Cleiton e Pedro, membros da equipe que conquistou o 3° lugar na competição (Foto: Divulgação)

Após 36 horas ininterruptas de competição, os jurados elegeram os melhores projetos de acordo com os seguintes critérios: impacto, viabilidade da implementação, inovação para o mercado, qualidade do produto, criatividade da ideia e aplicação na indústria, sendo este último o critério com maior peso.

Confira os dois primeiros colocados:

1° lugar –  aplicativo que permite ao trabalhador solicitar auxílio caso seja vítima de um acidente de trabalho. A plataforma serve para coleta de dados, aumento da produtividade e aproximação entre empresa e trabalhador.

2° lugar – aplicativo que libera ou proíbe o acesso do trabalhador no ambiente laboral de acordo com o uso de EPIs. Com isso, eles esperam que as empresas diminuam os gastos com indenizações ou processos trabalhistas. O software funciona com um sensor que emite um alerta.

Hackathon Sesi

A maratona de inovações tecnológicas foi realizada nos 24, 25 e 26 de março e reuniu estudantes e profissionais de diversas áreas com um mesmo objetivo: propor soluções para os principais desafios em segurança e saúde nas empresas.

 

Câmpus Medianeira publica editais para dupla diplomação em Portugal

O Câmpus Medianeira recebe até esta terça-feira, dia 12, inscrições de alunos interessados em participar do processo de dupla diplomação com universidades portuguesas. Ao todo, são ofertadas até 12 vagas para os alunos de Ciência da Computação, Engenharia de Alimentos e Engenharia Ambiental.

Confira os editais:

Para participar, o aluno precisa ter disponibilidade para morar em Portugal pelo período de 12 meses, ter rendimento mínimo de 0,6 no ato da inscrição, e ter matrícula ativa no período mínimo exigido no respectivo edital. O intercâmbio terá início entre os meses de agosto e setembro.

Os candidatos serão classificados por ordem decrescente da média aritmética simples dos pontos obtidos nos seguintes critérios:  a) coeficiente de rendimento escolar; b) ficha de pontuação preenchida e documentada; e c) entrevista.

Os documentos e a ficha de inscrição devem ser entregues na Diretoria de Graduação e Educação Profissional do próprio Câmpus.

Projeto possibilita estudo de topografia por meio de realidade aumentada

Sim, a tecnologia é um dos grandes aliados da educação!

Um exemplo é o projeto SARndbox, realizado no Câmpus Campo Mourão, que faz uso de ferramentas tecnológicas para criar uma simulação de realidade aumentada de relevos topográficos.

“A ideia é integrar um sistema de realidade aumentada com modelos topográficos criados fisicamente, que têm sua superfície escaneada em tempo real. Esses modelos são usados como plano de fundo para uma variedade de efeitos gráficos e simulações”, explica a professora Maristela Mezzomo, orientadora do projeto. O sistema de simulação conta com um computador, um projetor, um sensor de profundidade e uma caixa contendo areia. Tudo bem simples e o legal é que o simulador pode ser manuseado mesmo sem a supervisão de um especialista.

SARndbox simulando um relevo de montanha (Imagem: divulgação)

SARndbox simulando um relevo de montanha (Imagem: divulgação)

A iniciativa do projeto partiu de um grupo de alunos do Curso Técnico Integrado em Informática. “Montamos a SARndbox e apresentamos em uma ação de extensão junto à Diretoria de Relações Empresariais e Comunitárias para a Feira de Ciências e ExpoUT de 2015. Em 2016, a ação virou um Projeto de Recurso Educacional Aberto ligado à Diretoria de Graduação do Câmpus”, comenta Maristela.

Atualmente, a SARndbox é utilizada como ferramenta de apoio didático para aulas que trabalham com a temática ambiental, como nas disciplinas de Geomorfologia (Engenharia Ambiental) e de Geografia I e II (Técnico Integrado em Informática).

“Os resultados têm demonstrado que a SARndbox é uma ferramenta didática interessante, que aproxima o uso de interfaces não-convencionais no ensino, permitindo que alunos, professores e profissionais tenham a oportunidade de interagir a partir da escolha e elaboração de estratégias para agir de modo autônomo. Além disso, a interface permite que o aprendiz explore de forma mais ampla o material educacional, através de uma interatividade ativa e sensorial”, avalia a professora.

SARndbox

Criada originariamente na Universidade da Califórnia (EUA), a SARndbox se popularizou por ser uma proposta interativa que facilita o ensino de temas relacionados à topografia. No Paraná, apenas o projeto do Câmpus Campo Mourão está credenciado junto à coordenação internacional da SARndbox.

Câmpus Cornélio Procópio desenvolve aplicativo com glossário de biologia para alunos surdos

Tecnologia e acessibilidade. O Grupo de Pesquisa em Estudos sobre a Pequena Empresa e o Empreendedorismo do Câmpus Cornélio Procópio desenvolveu um aplicativo com o objetivo de atender a necessidade de acesso aos conteúdos científico-biológicos para alunos surdos do ensino médio, o Glossário de Biologia em Libras (GlossLibras).

00459_app_glosslibras_2707836661718442869

Elaborado a partir de uma pesquisa de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Sociais e da Natureza (Câmpus Londrina), de autoria do aluno Julio César Correia, o aplicativo disponibiliza uma série de termos da área das ciências biológicas com as respectivas representações na Língua Brasileira de Sinais (Libras).

A opção de difusão do glossário via aplicativo visa atender um número maior de interessados e contribuir para a assimilação dos sinais. Segundo o professor Jair de Oliveira, coordenador-geral do projeto, o acesso móvel facilita o processo de aprendizado dos alunos, a transmissão dos conhecimentos por parte dos professores e também a tradução dos sinais pelos interpretes. “Espera-se, com esta ação, atender uma demanda latente de mecanismos de apoio para o ensino de biologia no ambiente escolar”, comenta Jair.

O projeto também contou com apoio do Programa de Bolsas para o Desenvolvimento de Recursos Educacionais Aberto, do Programa de Bolsas de Fomento às Ações de Graduação da UTFPR.

O aplicativo está disponível para aparelhos com sistema android e o download pode ser feito gratuitamente.